Candidatura própria no PT significa ajudar Ducci, diz Roseli Isidoro

O maior beneficiado pela candidatura própria do PT, hoje, é o prefeito Luciano Ducci!

por Roger Pereira, via Vanguarda Política

"Dream team": Osmar, Roseli, Fruet, Pedro Paulo e Stica.

Uma oportunidade de ouro para interromper o ciclo de administração tucana! em Curitiba e equilibrar as forças políticas no Estado, que caiu do céu com a saída de Gustavo Fruet do PSDB e sua filiação ao PDT, partido da base do governo Dilma e aliado do PT em nível estadual nas últimas eleições. à‰ assim que o campo majoritário do PT vê a tese de coligação nas eleições para a prefeitura da capital. Para os vereadores Pedro Paulo e Jonny Stica e a presidente municipal do partido, Roseli Isisdoro, o maior interessado, na candidatura própria do PT é o grupo político comandado pelo governador Beto Richa.

Nossa articulação provocou uma reação mais ofensiva do PSDB. Se eles pudessem interferir no nosso processo interno, certamente fariam. Tanto que o líder do PSDB na Câmara declarou que o PT deveria ter candidatura própria. Achamos muito estranho o interesse deles em nosso processo interno. Mas é perceptível que uma candidatura própria prejudicaria nosso entendimento com o PDT!, disse Isidoro. Por isso, nesses últimos dias, estamos perguntando: a quem interessa a candidatura própria do PT. Para nós está muito claro. O maior beneficiado pela candidatura própria do PT, hoje, é o prefeito Luciano Ducci (PSB), pois quem perde com a nossa aliança é o grupo do PSDB!, declarou.

A presdiente municipal do partido defendeu o PDT como aliado histórico do PT e disse que a aliança não é meramente para ganhar a eleição. O programa foi um princípio fundamental. Temos, dele, o compromisso de levar para seu programa de governo nossas propostas, assim como temos o compromisso de estarmos juntos em 2014!, disse, lembrando que há a orientação nacional para uma coligação da base de apoio ao governo Dilma em torno da candidatura mais viável nas capitais. No nosso entendimento, sem desmerecer nossos companheiros, essa candidatura é a do Gustavo. Mesmo numa disputa desigual, contra as máquinas da prefeitura e do governo, o Gustavo saiu na frente. Com o apoio do PT, com sua militância, seu eleitorado e seu tempo de TV, podemos dar uma contribuição muito importante!, disse. Roseli disse que o PT já passou da fase de lançar candidatura para marcar posição. Começamos a refletir sobre o movimento dos nossos adversários e percebemos que não podemos mais só disputar para marcar posição. Nosso projeto já é conhecido. à‰ o que está governando o Brasil!.

Para Pedro Paulo, a posição do PT é fundamental para a definição do resultado e, no quadro atual, a candidatura própria acabaria beneficiando a estratégia tucana, pois dividiria o campo de oposição!. Para o vereador, a recente pesquisa Ibope/CBN, que apontou Fruet na liderança, reforça a teoria da coligação, não só pela liderança do pedetista e pela modesta quinta posição de Dr. Rosinha (PT), mas mostra que, se houvesse uma grande resistência do eleitor do PT ao nome do Gustavo, sua rejeição seria bem maior, e não a menor entre todos os candidatos!. O vereador disse, ainda, não ver incoerência em apoiar um ex-tucano. O passado passou. Agora tem compromisso em conjunto com a gente e com as mudanças que pregamos na administração municipal. Ele cumpriu bem seu papel como oposição em outro momento, mas, o fato de ter trocado de partido e nos procurado, mostra que está preocupado com uma nova forma de pensar a cidade!.

Temos uma gestão desgastada por 20 anos de poder, que não consegue inovar no planejamento urbano e nem tratar questões sociais e, de outro lado, um conjunto de pessoas que querem transformar a cidade. Não acredito que o PT esteja sozinho desse outro lado. Há outras pessoas e partidos que também querem essa transformação e nós buscaremos somar forças para viabilizar. Nesse sentido, a aliança com o PDT é o melhor caminho!, declarou o líder da oposição na Câmara Municipal de Curitiba, Jonny Stica (PT). Gustavo, além de conhecer bem a cidade, já mostrou que tem grande confiança do curitibano e o PDT é histórico aliado, desde as caminhadas juntos de Lula e Brizola. A candidatura própria pode servir para marcar posição ideológica, mas não agrega politicamente. E política não se faz sozinho!, prosseguiu.

Jonny argumentou que a aliança é importante já no primeiro turno, e não só num eventual segundo turno, porque permite que o PT participe da discussão do programa de governo, incluindo suas propostas e reforçou a tese de seus colegas. Não há dúvidas de que o PSB e o PSDB desejam que a candidatura própria saia vitoriosa, pois sabem que o PT do Lula, da Dilma e da Gleisi, junto com o nome do Gustavo, é uma aliança muito forte, com conteúdo e chance real de vitória. Juntos somos mais fortes e nossos adversários sabem disso mais que ninguém!.

Comentários encerrados.