Veja essa: Cerca de 200 participaram do “beijaço” gay em Maringá

por Marcelo de Souza, via site Maringay

Primeiro "beijaço" gay de Maringá criticou a gestão do prefeito Silvio Barros (PP).
Entre curiosos e “ativistas”, cerca de 200 pessoas participaram ontem do primeiro “beijaço” gay de Maringá. A manifestação durou duas horas, das 17h à s 19h, em frente ao prédio da prefeitura da cidade.

Bexigas, cartazes e gritos de ordem deram o tom do protesto contra a opressão, a repressão e a perseguição a LGBT (lésbicas, gays, bissexuais, travestis e transexuais) de Maringá, diz um fly do beijaço!.

Chamado de beijaço pela igualdade!, o ato aconteceu na Av. XV de Novembro, 701, e reivindicou a garantia do artigo 5!º da Constituição Federal, onde diz que todos são iguais perante a lei, sem distinção de qualquer natureza, garantindo-se […] a inviolabilidade do direito à  vida, à  liberdade, à  igualdade, à  segurança e à  propriedade!.

Depois de a prefeitura ter rejeitado o alvará do Dvinyl e o prefeito Silvio Barros (PP) ter vetado o projeto Escola Sem Homofobia e alguns vereadores, como a Marly Martins (PPL), terem se manifestado contra iniciativas a favor da comunidade LGBT local, ativistas gays decidiram pelo beijaço!.

Segundo Luiz Modesto, presidente do Coletivo LGBT do PCdoB e organizador do manifesto, o beijaço! foi um sucesso e atingiu seu objetivo.

Mais de 200 maringaenses demonstraram sua indignação na tarde deste dia 08, dia da Mulher. Mostramos ao executivo municipal que queremos políticas públicas voltadas para a população LGBT e que não concordamos em ser considerados cidadãos só na hora de pagar impostos. Diferente do que alguns veículos de comunicação divulgaram, o ato teve como estopim o fechamento de uma casa noturna na cidade, mas é muita inocência pensar que levaríamos todo esse povo as ruas por causa de um alvará, que isso fique claro a administração municipal!.

Assessores do prefeito Silvio Barros II (PP) informaram ao Conselho Tutelar a existência de menores entre os manifestantes. Um promotor de justiça foi acionado, esteve no local e constatou que a denúncia não procedia, segundo o blogueiro Angelo Rigon.

Comments are closed.