Professores da UEM cruzam os braços novamente durante paralisação

por Fábio Guillen, via Gazeta Maringá

Comunidade universitária fez protesto no começo do mês em Curitiba. Foto: Antônio More/Agência de Notícias Gazeta do Povo/AE.
Os professores da Universidade Estadual de Maringá (UEM) cruzaram os braços novamente nesta terça-feira (20) durante paralisação por reajuste de salários. Os cerca de 20 mil estudantes estão sem aula pela terceira vez no mês por causa das reivindicações dos docentes. A Seção Sindical dos Docentes da UEM (Sesduem), que reúne mais de 2 mil professores da instituição, organiza a nova paralisação.

Segundo a diretora da Sesduem, Maria de Fátima Vianna Souza, à s 16h haverá uma assembleia no campus da Universidade para as negociações com o governo do estado.

O presidente da Sesduem, Cid Marcos Gonçalves Andrade, disse na segunda-feira (19) à  Gazeta Maringá, que caso o estado mantenha o reajuste proposto no ano passado, os docentes devem aceitar a proposta, evitando, assim, uma greve por tempo indeterminado. O governo fez uma proposta que seria paga em três vezes, mas, não sei por que, recuou depois. Se repetir a proposta, vamos aceitar.!

O estopim do descontentamento dos professores aconteceu no início de fevereiro, quando o governo confirmou que não seria possível dar um aumento de 9,62% em três parcelas que seriam pagas em 2012, 2013 e 2014, conforme negociação em novembro do ano passado.

O acréscimo anularia a defasagem de 31,73% que existe entre os salários dos docentes e dos técnicos administrativos de nível superior que trabalham nas instituições de ensino superior do estado.

Comments are closed.