Porteiros de Curitiba entram em greve e protestam em frente à  sede do Secovi

por Jadson André e Luiz Henrique de Oliveira, via Banda B

Os porteiros de Curitiba estão em greve. Uma assembléia realizada na noite de segunda-feira (26) pelo Sindicon (Sindicato dos Empregados em Condomínios do Paraná) decidiu pela paralisação que deve afetar toda a categoria já nesta terça-feira (27).

A assembléia aconteceu as 18h e os trabalhadores afirmam não ter recebido nenhuma proposta formalmente do Secovi-PR (Sindicato da Habitação e dos Condomínios). Entretanto, uma proposta já havia sido entregue aos porteiros de Ponta Grossa e divulgada pela imprensa horas antes. A proposta seria a mesma feita aos trabalhadores da capital.

Não fomos informados de proposta nenhuma. Aguardamos até o fim da assembléia. Como não nos foi passado nada, deflagramos a greve e marcamos uma manifestação em frente ao Secovi!, afirmou em entrevista ao Jornal da Banda B 1!º Edição desta terça-feira, o presidente do Sindicon, Hélio Rodrigues da Silva.

A proposta divulgada pelo Secovi foi de aumento de 10,5% no piso, 8% no salário, R$ 150,00 de cesta básica e seguro de vida de R$ 30 mil. Os porteiros pleiteiam um aumento de 15%. Este foi o mesmo acordo feito entre Sindehtur !“ Sindicato que representa os Condomínios de Ponta Grossa e Região !“ ainda na tarde de ontem com os trabalhadores daquela cidade.

Mais uma vez somos tachados de intransigentes, mas não recebemos nenhuma proposta formalmente, diferente de Ponta Grossa!, reafirmou Rodrigues. Uma nova manifestação foi marcada em frente ao Secovi, na esquina entre as ruas Desembargador Motta com Doutor Pedrosa, centro de Curitiba.

2 Comentários

Os comentários não representam a opinião do Blog do Esmael; a responsabilidade é do autor da mensagem, sujeito à legislação brasileira.

  1. senhora presidenta nos de um salario justo a senhora acha que essa oferta é digna ponha a mão na sua conciencia e veja direito esse almento não sai do seu bolço nem porisso asenhora precisa faser nos de palhaco…

  2. sou porteira por isso estive sou afavor temos que lutar pelo nosso salario que e um salario de fome nossa categoria e aque menos ganha