Por Esmael Morais

Lula ironiza vitória de tucano e diz que Serra não dará ‘passeio’

Publicado em 27/03/2012

Sua avaliação não exclui preocupação com a performance de Haddad. O PT desconhece o estilo e o potencial de seu candidato. O baixo desempenho do petista nas pesquisas também não ajuda a atrair adesões de partidos para ampliar o tempo de TV.

Esse é o caso do PSB. Ligada ao PSDB em São Paulo e ao PT no plano federal, a legenda é cortejada pelos dois lados, mas não quer correr o risco de se envolver prematuramente numa campanha que pode não decolar.

No domingo, Lula se reuniu com o presidente do PSB, o governador Eduardo Campos, e ouviu dele dois compromissos: não vai aderir à  chapa do tucano e voltará a conversar sobre uma possível dobradinha a partir de maio.

Em entrevista à  Folha, Serra disse, porém, que há possibilidade de aproximação com PSB e PC do B, outro parceiro tradicional dos petistas.

Lula, em fase final de um tratamento contra um câncer na laringe, está retomando aos poucos as costuras eleitorais pró-Haddad.

Mas só entrará para valer na campanha após os 20 dias de férias programados para abril, quando pretende descansar em uma praia.

Ele tem dito acreditar em um segundo turno entre Serra e Haddad. Nesse caso, Lula ambiciona o apoio ao petista de Gabriel Chalita (PMDB).

Em diálogos com o partido, Lula diz que, se bem explorado, o abandono da prefeitura em 2006 fará com que Serra perca tempo para convencer o eleitor de sua disposição de cumprir o mandato.