Por Esmael Morais

De olho na prefeitura, Péricles e Plauto se mexem em Ponta Grossa

Publicado em 21/03/2012

* Marcelo Rangel depende do “comportamento” do PPS na capital
O deputado estadual Péricles Mello (PT), pré-candidato a prefeito de Ponta Grossa, vai reunir na sexta-feira (23) a militância petista de 35 municípios da região dos Campos Gerais em encontro que tem como objetivo construir um projeto unificado para a disputa eleitoral!.

Péricles disse que pretende resgatar a mística da militância petista nas eleições de outubro. O encontro de sexta terá a participação do secretário-geral do PT nacional, Elói Pietá.

Do outro lado da trincheira, o deputado estadual Plauto Miró, primeiro-secretário da Assembleia Legislativa, também está se mexendo. Na semana passada, o parlamentar disse que vem articulando uma frente política que reúne DEM, PSDB, PSB, PSDC e PSD, além de anunciar o apoio do atual prefeito Pedro Wosgrau (PSDB) à  sua campanha.

Há um terceiro pólo na disputa pela prefeitura pontagrossense que é liderado pelo deputado Marcelo Rangel (PPS). O parlamentar do voto limpo! vive um dilema, pois, embora esteja na frente das pesquisas de opinião, a política macro poderá complicá-lo.

Eu explico melhor isso.

O PPS de Curitiba tende a lançar candidatura própria à  prefeitura. A vereadora Renata Bueno ou o pai dela, deputado Rubens Bueno, poderão enfrentar nas urnas o prefeito Luciano Ducci (PSB) !“ o candidato in pectori! do governador Beto Richa (PSDB).

Sem o apoio do PPS na capital, muito provavelmente, os tucanos deverão utilizar o princípio da reciprocidade política com os camaradas do voto limpo no interior do Paraná. Além de Ponta Grossa, o PSDB deverá voltar as costas para o PPS em Campo Mourão.