“Casas Bahia”: Professores debatem neste sábado reajuste no “crediário”

Manifestação "monstro" em Curitiba no último dia 15. Foto de Adilson Faxina.
Professores da rede estadual de ensino realizam amanhã, sábado (31), no Colégio Estadual do Paraná, a partir das 8h30, uma assembleia geral para apreciar a proposta do governo do estado de reajuste salarial e implantação da hora-atividade em suaves parcelas.

Segundo o Sindicato dos Trabalhadores em Educação Pública do Paraná (APP-Sindicato), o governo fez a seguinte proposta: aplicar a data-base em maio (que provavelmente será de 6,5%); em julho, pagar a segunda parcela da equiparação salarial (5,95%); em outubro, a pagar a terceira parcela da equiparação acordada para 2013, de 5,95%. Isto totalizaria, ao final, uma reposição de 19,55% para os professores.

Alguns educadores criticam a proposta de parcelamento, pois, segundo eles, o governo age como as Casas Bahia ao propor suaves prestações a perder de vista!. A fórmula vai à  debate amanhã na assembleia da categoria. A possibilidade de uma greve não está totalmente descartada.

Universidades aceitaram o parcelamento

Professores das seis universidades estaduais aceitaram na quarta-feira (28) o parcelamento de reajuste de 31,73% em quatro vezes de 7,14%. O gatilho seria disparado sempre no mês de outubro, de acordo com mensagem que será enviada pelo governo à  Assembleia Legislativa.

Fim das greves em Campo Largo e Campo Magro

Os professores das redes municipais de Campo Magro e Campo Largo, na região Metropolitana de Curitiba, encerraram anunciaram hoje o fim da greve.

O prefeito campolarguense Edson Basso (PMDB) ofereceu 17% de aumento salarial e os educadores voltaram à s salas de aula nesta sexta-feira (30).

Já em Campo Magro, o magistério encerrou a greve por causa de uma decisão da Justiça que considerou o movimento abusivo. A APP-Sindicato informa que vai recorrer. Os professores do município reivindicam reajuste de 25%. O prefeito José Pase (PMN) oferece 5%

Comments are closed.