“Casas Bahia”: Em 4 parcelas, governo do PR concede aumento de 31,73% a professores universitários

Alguns professores criticam reajuste no "crediário" a la Casas Bahia.
Ao propor à s categorias que o pressionam reajuste salarial em suaves parcelas a perder de vista, o governo de Beto Richa (PSDB) parece estar amarrando! ao seu futuro político os movimentos de reivindicação. Já virou praxe nas negociações com os sindicatos. à‰ o método Casas Bahia!, com crediário farto e a longo prazo.

Nesta noite, o Palácio Iguaçu informou que os professores universitários aceitaram aumento de 31,73% em quatro parcelas anuais de 7,14%. O gatilho será disparado sempre no mês de outubro, de acordo com mensagem que será enviada à  Assembleia Legislativa.

Segundo os sindicatos, o objetivo é repor perdas salariais históricas da categoria que somam 31,73%. No entanto, explicam eles, isso não influenciará na data-base de maio quando os professores têm aumento.

Ontem, o governo também havia feito proposta de parcelamento de reajuste aos professores das 2,3 mil escolas da rede estadual de ensino.

Segundo a APP, o governo fez a seguinte proposta: aplicar a data-base em maio (que provavelmente será de 6,5%); em julho, pagar a segunda parcela da equiparação salarial (5,95%); em outubro, a pagar a terceira parcela da equiparação acordada para 2013, de 5,95%. Isto totalizaria, ao final, uma reposição de 19,55% para os professores.

Alguns educadores criticaram o parcelamento ao afirmar que o governo age como se fosse as ‘Casas Bahia’ ao propor suaves prestações a perder de vista!.

Os professores universitários aceitaram o “crediário tucano”, mas os profissionais do magistério da rede estadual de ensino ainda vão analisar a fórmula em assembleia estadual da categoria neste sábado, dia 31. A possibilidade de uma greve não está totalmente descartada.

Comments are closed.