A repercussão da renúncia de Derosso

João Cláudio Derosso.
A renúncia ontem do presidente da Câmara Municipal de Curitiba, João Cláudio Derosso (PSDB), que deixou o cargo depois de 15 anos, continua repercutindo nos meios políticos.

A direção municipal do PT diz que a saída do tucano “soa como confissão de culpa e também como vitória dos oposicionistas”.

O PPS capitalizou o fato de ter sido o primeiro partido a emitir uma nota pública, pedindo o afastamento do Derosso.

“A vereadora Renata Bueno sofreu represálias, mas não desistiu de seu enfrentamento ao representar a vontade da sociedade”, disse Rubico Camargo, secretário-geral da legenda do “voto limpo”.

A bancada de oposição na Câmara, composta por PT, PV e PMDB, afirmou que “a renúncia do vereador João Claudio Derosso à  presidência da Câmara foi fruto de oito meses de uma incansável pressão da sociedade, da imprensa livre e democrática e da nossa bancada, composta por vereadores comprometidos, primordialmente, com a população e com a instituição Câmara de Curitiba”.

Na próxima segunda-feira, 19 de março, o legislativo municipal deverá escolher um novo presidente.

Comments are closed.