11 de março de 2012
por esmael
1 Comentário

Bancários indicam Márcio Kieller para presidir a CUT do Paraná

via site da Fetec

A Central Única dos Trabalhadores no Paraná (CUT-PR) realizará no mês de maio o seu congresso trienal. A principal atribuição do evento é aprovar as diretrizes que guiarão a nova diretoria para o comando da entidade no período 2012-2015. A renovação da direção da CUT-PR se dará entre chapas concorrentes que serão formadas pelos delegados eleitos nas respectivas instâncias (federações, sindicatos e oposições sindicais).

Os trabalhadores bancários no Paraná vão eleger os delegados para o referido congresso e colocam à  disposição da classe trabalhadora um elenco de nomes para compor a nova diretoria estadual. Destes nomes, destaca-se o trabalhador bancário Márcio Mauri Kieller Gonçalves, atual secretário de Políticas Sindicais e Movimentos Sociais do Sindicato dos Bancários e Financiários de Curitiba e Região para concorrer à  Presidência da CUT-PR.

A CUT é a central sindical mais reconhecida pelos trabalhadores, tanto no Brasil quanto no Paraná, lembra o presidente do Sindicato de Curitiba e Região, Otávio Dias, que ainda destaca o papel da união dos trabalhadores paranaenses para fortalecer a central sindical na defesa dos interesses da classe trabalhadora no Estado do Paraná e no Brasil.

Nós, bancários, que já estivemos à  frente da direção da CUT aqui no Estado e que sempre destacamos quadros para compor as diversas direções anteriores, bem como a atual, manifestamos o nosso desejo de continuar contribuindo com o fortalecimento da nossa central e, desta vez, indicamos o nome do companheiro Márcio Kieller para assumir a presidência da CUT paranaense!, afirma Otávio Dias.

O Márcio, além de sua história de lutas de longa data nos movimentos, é um companheiro sempre presente, dando sua contribuição nos debates e atividades da nossa central sindical!, comenta Elias Jordão, presidente da FETEC-CUT-PR ao abordar o engajamento da categoria bancária nas lutas do po

11 de março de 2012
por esmael
2 Comentários

PT e PSDB vão polarizar disputas nas maiores cidades do Paraná

por Luiz Fernando Cardoso, via O Diário

A figura do governador Beto Richa (PSDB) de um lado e da presidente Dilma Rousseff e do ex-presidente Lula (ambos do PT) do outro colocará tucanos e petistas em posição de destaque nas eleições deste ano.

Com candidato próprio ou no palanque de aliados, políticos das duas legendas prometem replicar no Paraná a rivalidade história do âmbito federal. Nas últimas cinco eleições gerais, PT e PSDB foram os protagonistas da disputa presidencial.

Em referência ao famoso jogo de tabuleiro WAR (guerra, em inglês), a pretensão de ambos é ganhar novos territórios para conquistar o Estado. Atualmente, o PT governa 35 das 399 prefeituras do Paraná e reúne 283 vereadores. O PSDB tem 38 prefeitos e 452 vereadores. Ambos querem mais.

O foco da disputa serão as grandes cidades e, nesse contexto, a “guerra” promete ser maior nos cinco municípios onde pode haver segundo turno: Curitiba, Londrina, Maringá, Ponta Grossa e Cascavel. “Temos pré-candidatos fortes, com reais chances de chegar ao segundo turno em todas essas cidades”, afirma o deputado estadual Enio Verri.

Presidente da executiva estadual do PT, Verri admite ser o PSDB o maior adversário no momento. Ambos, diz o deputado, vão se apresentar no pleito com grupos políticos fortes. “Direta ou indiretamente, PT e PSDB disputarão todas as prefeituras das principais cidades do Estado”, comenta Verri.

Armas

O PSDB utilizará o prestígio do governador !“ e o poder atribuído a Beto Richa !“ para criar um centro gravitacional em torno dos pré-candidatos tucanos. à‰ o que o partido tenta fazer em Londrina. “Trabalhamos com a possibilidade de ter o Hauly [Luiz Carlos Hauly, secretário de Estado da Fazenda] como pré-candidato e esperamos que ele aceite o desafio”, comenta o presidente da Assembleia Leg

11 de março de 2012
por esmael
Comentários desativados em Em reunião com Requião, PMDB avalia candidatura própria em Ponta Grossa

Em reunião com Requião, PMDB avalia candidatura própria em Ponta Grossa

por Aline Rios, via Diário dos Campos

Lideranças de outros partidos que participaram nesta sexta-feira da reunião do PMDB, que contou com a presença do senador e ex-governador do Paraná Roberto Requião, avaliaram positivamente o encontro que tinha como principal objetivo discutir assuntos referentes à  eleição de outubro. Estiveram presentes dirigentes regionais do PT, PR e do PDT, que integram a base do governo Dilma Rousseff (PT), além de correligionários e pré-candidatos à  majoritária do partido de toda a região. O presidente do PMDB em Ponta Grossa, Fábio Artero, enfatiza que o Diretório da sigla deve realizar uma reunião na cidade no próximo dia 19 para tomar uma posição sobre a candidatura própria defendida por Requião. Cerca de 100 pessoas estiveram na reunião realizada no Hotel Planalto.

Artero destacou a primeira visita oficial de Requião à  cidade depois de ter sido eleito senador da República em 2010. Essa foi uma primeira visita de muitas que devem acontecer na cidade e região nos próximos meses. A participação de lideranças de outros partidos mostra a força que o PMDB tem também em Ponta Grossa, -incluindo o PR, que apesar de integrar o governo Wosgrau, é da base do governo Dilma-, integrando um grupo que hoje se opõe ao governo de Beto Richa [PSDB]!, destaca.

Segundo Artero, as lideranças reunidas nesta sexta-feira não chegaram a tratar especificamente de candidatura à  majoritária em Ponta Grossa, mas devem estar unidas na elaboração de um plano de governo voltado à  população. Se não for possível formarmos uma aliança para lançar apenas um candidato à  prefeitura, certamente, estaremos juntos no segundo turno!, ressalta, enfatizando que o partido também deve contar com apoio do PCdoB e que também buscará estreitar laços com o PSD e PTB.

Presidente do PDT na região, Márcio Pauliki, também destacou que a participação de outras lideranças no encontro com

11 de março de 2012
por esmael
1 Comentário

Professores do Vale do Ivaí estão longe do piso salarial

por Antoniele Luciano, via Tribuna do Norte

Professores enfrentam dificuldades, sobretudo, financeiras para exercer o Magistério na região [de Apucarana]. De acordo com um levantamento da Tribuna do Norte, educadores que atuam nas redes municipais de ensino de apenas cinco dos 26 municípios do Vale do Ivaí recebem igual ou acima da remuneração mínima anunciada pelo Ministério da Educação (MEC) para 2012. Os vencimentos da categoria, em início de carreira, só ultrapassam R$ 725,50 para uma jornada de 20 horas semanais em Lunardelli, Lidianópolis, Novo Itacolomi, Marilândia do Sul e Apucarana. Para 40 horas, o piso determinado pelo MEC no País é de R$ 1.451, 22% maior que o anterior.

Nos demais municípios da região, os salários dos professores ainda estão abaixo do piso nacional, seja para jornadas de 20 ou 40 horas semanais. Em algumas cidades, como Cruzmaltina, Bom Sucesso, Arapuã, Rosário do Ivaí, São João do Ivaí, Grandes Rios, São Pedro do Ivaí, Rio Branco do Ivaí e Rio Bom, os vencimentos para quem começa a dar aulas na rede municipal, com habilitação em Magistério, não vão além de R$ 622, o valor do salário mínimo. Os municípios que ainda não reajustaram os salários dos professores conforme o novo piso deverão pagar as diferenças retroativas, desde janeiro deste ano.

Quem atua na Educação avalia que o salário pago aos docentes ainda poderia ser melhor. Toda a vida o professor foi muito desvalorizado. O Brasil demorou para tomar esta atitude, aumentar o piso!, define a professora Ivoneti Ambrósio Expedito, que exerce o Magistério há 23 anos, em Novo Itacolomi.

Para a secretária Municipal de Educação de Novo Itacolomi, Romilda Valente, a necessidade de uma remuneração melhor para os docentes se justifica pela intensidade do trabalho que precisam desenvolver nas escolas. O professor precisa ganhar mais porque faz papel de pai, mãe, indo além de sua função pedagógica!, assinala.

Com a Lei do Piso Nacional, no entanto, as prefeituras da região tiveram que começar a rever as suas contas para se adequar ao estabelecido pelo MEC. Segundo o presidente da Associação dos Municípios do Vale do Ivaí (Amuvi), o prefeito de Lidianópolis, Marcos Eusébio Dias Sobreira (PMDB), o novo piso salar

11 de março de 2012
por esmael
Comentários desativados em Manchetes deste domingo

Manchetes deste domingo

Jornais do Paraná

– Gazeta do Povo: Muitos projetos, pouco dinheiro

– Folha de Londrina: DOENà‡A PSIQUIàTRICA: Cirurgias ainda esbarram no preconceito Leia mais