Por Esmael Morais

Protógenes mostra otimismo sobre instalação de CPI das Privatizações

Publicado em 06/02/2012

Um dos parlamentares presentes foi o deputado estadual Mauro Rubem, de Goiás. Integrante do diretório nacional do PT, Rubem assumiu que integrantes de seu partido ajudaram a enterrar a Comissão Parlamentar Mista de Inquérito (CPMI) do Banestado, mas disse que o partido hoje é favorável à s investigações sobre supostos desvios de recursos para paraísos fiscais ocorridos durante as privatizações.

Segundo o deputado, hoje há um “quadro distinto da situação da época”. “Sem dúvida o partido vai levar (a CPI) adiante. As disputas internas são naturais. Mas os petistas que foram contrários (à  CPMI do Banestado) não tinha noção da extensão dos problemas”, alegou. A avaliação é semelhante à  de Amaury Ribeiro, para quem os partidos de esquerda estavam “desarticulados”. “Agora é uma outra situação, mesmo porque estamos entrando em nova onda privatista”, disse, lembrando as privatizações dos aeroportos de Guarulhos, Campinas e Brasília realizadas ontem pelo governo federal.

Já Protógenes afirmou que a apuração das denúncias de irregularidades nas privatizações é um “compromisso democrático” que o Congresso tem com a população o que, na opinião do parlamentar, levou até integrantes da oposição a assinarem o pedido de instalação da CPI. “As questões internas dos partidos são menores diante disso”, avaliou, referindo-se à s denúncias. O pedido de criação da comissão, de acordo com o ex-delegado, tem 206 assinaturas, 35 a mais que o mínimo exigido. “Este mês não vai dar tempo. Mas assim que as outras CPI estiverem funcionando, esta vai ser instalada”, disse, referindo-se à s CPIs criadas para investigar o tráfico de pessoas, a exploração sexual de menores e o trabalho escravo.