Polícia Civil aprova indicativo de greve e vai parar; proposta foi revoltante!, diz sindicato

da Banda BOs policiais civis do Paraná rejeitaram, em assembléia realizada nesta quarta-feira (15), a proposta de aumento salarial de 20% feita pelo governador Beto Richa e aprovaram um indicativo de greve. A partir da meia noite de quinta-feira (16) terá início uma operação-padrão. O Sinclapol (Sindicato das Classes Policiais Civis no Estado do Paraná) deve comunicar oficialmente a Secretaria de Segurança Pública (Sesp) nesta quinta. A paralisação das atividades deve começar no sábado de carnaval, no entanto, o Sinclapol promete cumprir o mínimo de 30% no atendimento à  população.

O Governo apresentou nesta tarde a proposta de reajuste de 20% para policiais de 4!° e 5!° classe. Os de 2!° e 3!° receberiam apenas a reposição inflacionária. Essa proposta foi imediatamente rejeitada pela categoria. Os policiais civis querem a implantação de subsidio com a incorporação de benefícios. Com isso, o salário inicial pretendido pela categoria, que hoje é de R$ 2,7 mil, seria de, no mínimo, R$ 5,75 mil.

Ao sair da assembleia, o presidente do Sinclapol, André Gutierrez, foi duro nas críticas ao governo. A proposta que nos foi feita é revoltante. Iremos realizar amanhã uma reunião no sindicato e nos preparar para a greve. O policial civil precisa ser valorizado!, disse.

O presidente explicou como vai funcionar a operação-padrão. Faremos apenas aquilo previsto no Estatuto da Polícia Civil. Não serão feitas mais segurança das carceragens, além de registros de prisão em flagrante sem os delegados. Registro de Boletins de Ocorrência, investigações e buscas de foragidos continuam!, descreveu.

Não se sabe ainda como será o atendimento à  população após com o início da greve. O Sinclapol promete cumprir o mínimo de 30% de atendimento.

Comments are closed.