PMs em greve na Bahia deixam a Assembleia; líderes são presos

Assembleia Legislativa da BA.

da Agência Brasil

Os policiais grevistas que ocupavam a Assembleia Legislativa da Bahia desde o dia 31 de janeiro deixaram o prédio no início da manhã de hoje (9). Dois líderes do movimento que tiveram a prisão decretada pela Justiça, Marco Prisco e Antônio Paulo Angelini, foram presos e pediram para sair pelos fundos do prédio.O pedido foi aceito pela Polícia do Exército e pela Polícia Federal, que fizeram a prisão, e os dois foram levados de helicóptero para uma unidade da Polícia do Exército em Salvador.

Saíram do prédio 245 policiais grevistas e não havia crianças entre os manifestantes, de acordo com o tenente-coronel Márcio Cunha, responsável pela comunicação da operação. Todos passaram por uma vistoria do Exército antes de deixar o local. Após a saída, o Exército iniciou uma varredura. Ainda não há informação sobre a existência de armas no prédio ou de armas apreendidas.

Ainda restam oito mandados de prisão a ser cumpridos. Ao sair do prédio, os policiais que não tinham prisão decretada foram embora em seus próprios carros.

3 Comentários

Os comentários não representam a opinião do Blog do Esmael; a responsabilidade é do autor da mensagem, sujeito à legislação brasileira.

  1. Polícia bandida.
    É isso que pagamos caro por um serviço péssimo.
    Nada de PEC300 ou qualquer outra.
    Limpeza já.

  2. Onde já se viu ein, num estado governado pelo PT chegar neste ponto dos pato mango fazer greve?

  3. A globo ajudou a desvendar as mortes e os saques na Bahia durante a greve da PM, só assim para o povo acreditar.
    Não houve necessidade de violência contra os grevista, já no Pinheirinho em São Paulo os pobres não tiveram o mesmo tratamento pela PM.
    Estamos presenciando duas formas diferentes de administrar um problema, de um lado cassetetes do outro o diálogo.