Assembleia jura que não autorizou jingle de campanha de Richa em solenidade

Nota de Esclarecimento

A Assembleia Legislativa do Paraná esclarece que não tocou o hino em homenagem do governador Beto Richa durante a sessão solene desta quinta-feira (2). A cantora Marise Imthurn Farias, espontaneamente, interpretou uma música não oficial. A iniciativa foi exclusiva dela, conforme seu próprio esclarecimento:

Foi uma total desatenção da minha parte. Normalmente, faço uma homenagem em eventos. E por isso, por iniciativa própria, acabei fazendo esta homenagem. Foi uma iniciativa particular. Ninguém me pediu!, afirmou Marise.

A Casa reforça que não houve por parte da Comissão Executiva, parlamentar, diretor ou funcionário do Legislativo, bem como do Governo do Estado, qualquer solicitação para incluir, na lista de hinos, uma música não oficial.

Jingle de Beto na Alep desrespeita Constituição

O jingle de campanha do governador tucano Beto Richa, que tocou hoje à  tarde na Assembleia Legislativa, durante a solenidade de instalação dos trabalhos legislativos, desrespeita a Constituição Federal.

Veja, por exemplo, o parágrafo 1!º do artigo 37:

A publicidade dos atos, programas, obras, serviços e campanhas dos órgãos públicos deverá ter caráter educativo, informativo ou de orientação social, dela não podendo constar nomes, símbolos ou imagens que caracterizem promoção pessoal de autoridades ou servidores público.

A música “Quero Beto Richa, meu governador” foi cantada por Marise Farias, logo depois do discurso do governador e antes mesmo do encerramento oficial da sessão pelo presidente da Alep, Valdir Rossoni.

A curiosidade é que o delito! aconteceu na presença das mais altas autoridades do Poder Judiciário do Paraná: os presidentes do Tribunal de Justiça e Tribunal de Contas, Miguel Kfouri Neto e Fernando Augusto Mello Guimarães além do Procurador de Justiça do Estado, Olympio de Sá Sotto Maior.

E imaginar que instantes antes da musica ecoar no plenário, Beto Richa exaltava, durante seu discurso, a eficiência da sua gestão! e o respeito à  coisa pública.

Comentários encerrados.