Lula rouba cena e vira homenageado em posse na Esplanada

iG São Paulo

Lula ganhou lugar ao lado de Dilma no palco do evento; na foto, presidenta e antecessor aparecem com Gleisi Hoffmann e Michel Temer. Foto: Roberto Stuckert Filho/PR.
O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva roubou a cena na cerimônia que marcou a troca de comando no Ministério da Educação. No evento, seu primeiro compromisso público desde o diagnóstico de um câncer na laringe, Lula foi homenageado tanto no discurso de Fernando Haddad, que deixa o cargo para disputar a eleição em São Paulo, quanto de Aloizio Mercadante, que assume o comando da Educação. Também pautou a fala da presidenta Dilma Rousseff durante o evento.

Lula, que se submete diariamente a sessões de radioterapia, pediu à  equipe médica do Hospital Sírio-Libanês autorização para viajar a Brasília e comparecer à  solenidade. Sentado ao lado da presidenta Dilma Rousseff no palco, o ex-presidente vestiu terno e gravata para a ocasião. Primeiro a discursar, Haddad se disse honrado pelos anos que passou à  frente da pasta. “Foi uma honra iniciar os trabalhos na Educação sob comando de um metalúrgico”, disse.

Lula esteve à  frente de todo o processo que conduziu Haddad à  cabeça de chapa na disputa em São Paulo. Nos bastidores, circula ainda a versão de que coube ao ex-presidente o empurrão final para que Mercadante fosse o escolhido para o Ministério da Educação.

Haddad agradeceu ainda à  equipe da pasta, aos seus familiares, à  imprensa e ao sucessor. “Tenho certeza de que deixo o ministério relutante, Aloizio, porque é um ministério apaixonante”, disse Haddad. “Mas deixo o ministério nas mãos de uma pessoa de extrema competência.” Por fim, agradeceu a Dilma pela forma como comanda o primeiro escalão do governo. “Espero que a senhora mantenha esta linha de conduta que nos faz melhorar a cada dia, uma linha firme, feminina”, disse. “Sob seu comando, estamos tranquilos de que vamos avançar ainda mais.”

Emocionado, Mercadante também abriu sua fala com uma homenagem ao ex-presidente. “O senhor plantou semente por esse Brasil inteiro. Semente de esperança, de dignidade do povo”, disse Mercadante, acrescentando que uma das sementes plantadas pelo ex-presidente foi a eleição de sua sucessora. “Quem está dentro do governo, sabe que a presidenta Dilma é fundamental em toda essa trajetória.”

De perfil técnico, Marco Antônio Raupp, que assume a pasta de Ciência e Tecnologia em lugar de Mercadante, fez um discurso mais protocolar. E brincou: “Quando eu sair do ministério farei discurso de improviso, como fizeram Fernando e Mercadante. Mas ainda tenho que ler. Estou até perdido aqui.”

Dilma fechou o ciclo de discursos também com uma menção ao antecessor. “Eu queria fazer uma saudação especial ao ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva e dizer a todos vocês !“ tenho certeza que pra vocês também – que para mim é uma honra que seja neste momento a primeira vez que nosso querido presidente volta ao Palácio do Planalto”, disse a presidenta.

Dilma avisou que, assim como os auxiliares, poderia se emocionar. “Com o passar do tempo, sabe, Raupp, a gente vira um bando de chorões. Eu também posso ser obrigada, por não conter as lágrimas, a chorar. Aliás, o presidente sempre disse pra mim: pode chorar, que não faz mal nenhum!, completou.

Segundo a presidenta, o ideal seria que Lula tivesse participado também da cerimônia onde o Planalto comemorou a marca de 1 milhão de bolsas do ProUni. “A pessoa que deveria comemorar isso é o presidente Lula, por esse imenso esforço de mudar a trajetória e a história da educação brasileira.”

*Com colaboração de Adriano Ceolin, iG Brasília, e informações da Agência Estado