Líderes dizem que foram traídos por Rossoni

Rossoni. Charge da Gazeta do Povo.

A revogação do 14!º e 15!º salários dos deputados, anunciado pelo presidente da Assembleia Legislativa do Paraná, Valdir Rossoni (PSDB), promete incendiar os bastidores políticos da Casa.

Líderes de partidos na Assembleia entraram em contato com o blog para reclamar de Rossoni. Segundo eles, ontem à  tarde o tucano havia se reunido com o colégio para fechar um acordo mantendo o benefício da convocação e desconvocação parlamentar.

“Rossoni fechou um acordo, mas roeu a corda na calada da noite. Falta a ele palavra e caráter”, fuzilou um dos líderes partidários, da base aliada do governo de Beto Richa (PSDB).

Indignado, outro líder do colegiado desconfia que o tucano seja o autor de vazamentos de informações da Assembleia à  imprensa para depois capitalizá-las como “moralizador”.

Um terceiro líder de partido na Casa lembrou que Rossoni, quando era primeiro-secretário, pagou religiosamente o benefício do 14!º e 15!º durante dois anos.

“A palavra de Rossoni só vale quando ele não respira”, disse, revelando a animosidade da maioria dos parlamentares com a atitude do tucano.

Se é para moralizar a Assembleia, por que o Rossoni não cancela a licitação de R$ 24 milhões para a informática?!, questiona um deputado do PT.

A impressão dos líderes é que Rossoni quis manter a bandeira da moralidade! à  custa do constrangimento público dos deputados depois, é claro, de romper um acordo.

A manutenção de acordos é o mínimo que se espera do presidente de um parlamento!, reclamam os deputados que perderam o dindim de final de ano.

Comentários encerrados.