Blog do Esmael

A política como ela é em tempo real.

Guilhobel Camargo encerra o site “Gazeta de Novo”

O site Gazeta de Novo deixará de ser atualizado. O proprietário da página, Guilhobel Camargo, anunciou nesta quinta-feira (1) o fim do espaço depois de 8 anos ininterruptos.

“Escrevi com paixão e ousadia, muitas vezes errei e em outras vezes fui elogiado”, despediu-se Guilhobel.

O advogado Luiz Fernando Pereira comentou o fim do Gazeta de Novo decretado por Guilhobel: “Parar? Você já não tem mais este direito!”.

O mundo da política — e este blogueiro — espera que Guilhobel Camargo reveja essa medida drástica. A rede precisa de vida inteligente. Até breve.

Leia a íntegra do comunicado de Guilhobel:

Nesse espaço, durante os últimos 8 anos, fui além de ser atrevido. Cheguei aos 64 anos – chamado na vida de ‘período da síntese’ – em que o ser humano tem a chance de profundidade no conhecimento. Coincidentemente fechou-se um setênio (os 7 ciclos da vida) para o site e para minha idade (64) quando um novo período se inicia.

Com coragem irresponsável!, ataquei e fui atacado.

Políticos tentaram, em muitas ações, me intimidar, usando a corrupta justiça dos poderosos!; mas eu continuei, não fiquei calado.

Alguns tiveram sucesso, mas mesmo condenado não cai, fiquei em pé, segui atacando e denunciando.

Jamais anunciei que falaria sobre alguém em edições posteriores, sempre fui direto ao assunto e falei no mesmo dia.

Escrevi sobre temas inéditos e trouxe fatos que muitos receberam como teorias conspiratórias! (Eles estão no arquivo no botão acima, à  direita).

Agradei e desagradei a Lernistas, Requianistas, Bebetinhos também a crentes e ateus.
Não fui servil nem seria eterno admirador de nenhum deles.

Trouxe a luz para alguns e mostrei o caminho das trevas para outros.

Recebi elogios e fui xingado.

Fui amado e odiado.

Chamaram-me de detrator e me detrataram.

Fiz gente sorrir e outros chorarem.

Escrevi com paixão e ousadia, muitas vezes errei e em outras vezes fui elogiado.

Muitas vezes chorei, muitas vezes sorri e me deliciei sentindo o gozo de si mesmo! com a minha lavra polêmica!.

Marquei e fiquei marcado.

Enfim, cansei de lavar cabeças de burros!.

Sei que ganhei um exército de seguidores e para esses – eu peço perdão – sei que sentirão a falta das minhas palavras, acreditando nelas ou não.

Custou muito, perdi amigos, ganhei amigos e inimigos e tombou no caminho a minha companheira que eu amava.

Agora vou me unir à  multidão.

Eu fiz minha parte, não me arrependo de nada.

Talvez um dia eu retorne para mais uma vez gritar.

Enquanto essa página estiver no ar, quem sabe…

Os que estão mais próximos têm-me dito que eu não resistirei longe do site e que serão só umas férias de final de ano. Sinceramente, gostaria que fosse assim.

Até um dia, aqui mesmo ou dentro de um livro ou em lugar nenhum eu volte a falar.

O mundo pertence a quem se atreve, eu fui atrevido.

Obrigado, Guilhobel

Adeus Rapazes

Adeus rapazes, companheiros de minha vida, turma querida daqueles tempos.
Cabe a mim hoje empreender a retirada,
devo afastar-me de minha boa rapaziada,
Adeus rapazes, já me vou e me resigno.
Contra o destino ninguém argumenta.
Acabaram para mim todas as farras,
meu ser enfermo não resiste mais.

Comentários desativados.