Entidades de classe cobram de Beto revisão do modelo de pedágio

do O Estado do Paraná

Presidentes das principais entidades representativas do setor produtivo paranaense se reuniram com o governador Beto Richa, no fim da tarde desta segunda-feira (12), no Palácio das Araucárias, para debater a questão do pedágio. Os empresários apresentaram levantamentos sobre o impacto econômico que os preços praticados nas estradas do Paraná causam sobre determinadas atividades e entregaram uma carta ao governador em que sugerem a revisão do modelo de concessão de rodovias adotado no Estado.

O presidente da Federação das Indústrias do Paraná (Fiep), Edson Campagnolo, destacou a importância da união das entidades em torno do tema, que tem influência direta na competitividade do setor produtivo do Estado. Além da Fiep, estiveram representadas na reunião a Federação do Comércio do Paraná (Fecomércio), Associação Comercial do Paraná (ACP), Federação e Organização das Cooperativas do Paraná (Ocepar), Federação das Empresas de Transporte de Cargas do Paraná (Fetranspar) e Federação das Associações Comerciais e Empresariais do Paraná (Faciap).

“O que defendemos junto ao governador é que o modelo de concessão adotado no passado pelo Paraná precisa de ajustes”, afirmou Campagnolo. Para o presidente da Fiep, a demora na realização de obras de duplicação de rodovias, previstas nos contratos originais de concessão, é uma prova da necessidade de mudanças no modelo. “O atraso dessas obras prejudica o desenvolvimento do interior do Estado”, disse.

Durante o encontro, o presidente da Ocepar, João Paulo Koslovski, apresentou um levantamento realizado pela entidade sobre o impacto do pedágio no transporte de grãos e insumos no Paraná. Segundo o estudo, em alguns casos o pedágio chega a representar 33% dos custos do transporte de cargas de Foz do Iguaçu até Paranaguá. Ainda segundo o levantamento, os pedágios tem impacto nos custos totais de produção que podem chegar a 8,1% para o caso do milho e 4,8% para a soja.

O presidente da Fecomércio, Darci Piana, também mostrou preocupação com os valores cobrados nos pedágios do Paraná. “Sabemos dos benefícios que temos com estradas boas, mas é preciso rever os custos”, afirmou.

De acordo com Edson Campagnolo, da Fiep, o governador Beto Richa se mostrou sensível ás reivindicações das entidades empresariais e afirmou que, assim como em outras questões, o governo está aberto ao diálogo com o setor produtivo do Estado.

5 Comentários

Os comentários não representam a opinião do Blog do Esmael; a responsabilidade é do autor da mensagem, sujeito à legislação brasileira.

  1. Só se galinha criar dentes…vai mudar o pedágio em prol do cidadão…acorda gente, as pedageiras são a grande fonte das capanhas eleitorais..caixa dois. Ano que vem tem eleições de novo…viva o Paraná e São Pedro dê um tempo bom pra colheita ser boa e sustentar esta roubalheira legalizada. Ave RICHAS.

  2. pérai… e o beto rixa como é q fica? não sobra nada pra ele ?… poka vergonha essa nossa justiça, e esse povinho do paraná…tudo mundo saB q o beto governador esta envolvido até o pescoço com os escândalos da Câmara municipal, poiS ele é amicíssimo do dero$$o, E foram a todo tempo parceiros no trato da coisa publica, aja visto o nome do jornaleco, câmara em ação do dero$$o, da prefeitura; prefeitura em ação do beto rixa…PROJETOS IDÊNTICOS ARQUITETADOS POR ELES EM PARCERIAS, ESQUEMA ESSE DE PODER E QUE TORNOU CURITIBA NUM GRAND CURRAL ELEITORAL E COM ISSO ELEGER SOMENTE O GRUPO TUCANO DEMO, E ALGUNS GATOS PINGADOS PUXAS DELES. DE MANEIRA Q É; muito estranho, são só os bobos, como o pessoal puxas de tucanos q ñ veem isso ai. a meu ver esta mais doq na cara q o BETO RIXA TEM CULPA NO CARTÓRIO SIM.

  3. pérai… e o beto rixa como é q fica? não sobra nada pra ele ?… poka vergonha essa nossa justiça, e esse povinho do paraná…tudo mundo sa q o beto governador esta envolvido até o pescoço com os escândalos da Câmara municipal, poi ele é amicíssimo do dero$$o, foram a todo tempo parceiros no trato da coisa publica, aja visto o nome do jornaleco, câmara em ação do dero$$o, da prefeitura; prefeitura em ação do beto rixa… é muito estranho, são só os bobos, como o pessoal puxas de tucanos q ñ veem isso ai. a meu ver esta mais doq na cara q o BETO RIXA TEM CULPA NO CARTÓRIO SIM.

  4. Mas sem aceitar as condições a que o Beto está propondo. Nada de prorrogação de prazo e com exclusão das cláusulas que prejudicam o cidadão e as empresas em favor da concessionária. Quem sabe assim, a Justiça possa fazer realmente justiça.
    Exigimos o modelo (e preço) da 376 – concessão feita pelo Governo Federal.
    Sabe quando ? Com estes que aí estão?
    Mas quem decide a eleição aceita um cobertor em troca de sua honra.
    Culpa dele ?
    Não, culpa de quem usa estas pessoas.
    Culpa de quem as engana e as deixa esperando por 6 horas num posto de saúde.
    Culpa de quem gasta o dinheiro público com obras ineficazes e que chegam a custar 30 milhões ‘a mais’ – ex: Linha Verde. Pô cara… 30 milhões… E os postos de saúde ? E as escolas ? E os hospitais ? E as ruas sem buracos (crateras, algumas) ?
    Culpa de quem compra a imprensa.
    Culpa da imprensa que se vende.
    Culpa da Justiça que se desvia da sua finalidade.
    Eu duvido que a solução deste caso seja em pról da sodiedade.
    Não com esta turma…

  5. Basta comparar quanto se gasta indo de Curitiba a Paranagua e de Curitiba a
    Joinville. As obras relizadas pelas concessionárias tanto de uma, quanto de outra rodovia foram as mesmas, somente manutenção.
    Existe algo errado nesta historia.