Democracia tucana: Capangas e terrorismo na Assembleia do Paraná

Rossoni. Charge da Gazeta do Povo.

A Assembleia Legislativa do Paraná virou uma ilha nesta terça-feira (6). Ninguém entra ou sai do prédio sem autorização dos capangas à  paisana do presidente Valdir Rossoni (PSDB).

A Polícia Militar, que deveria estar fazendo a segurança nos bairros, está ali postada para agredir estudantes e trabalhadores.

A velha mídia não tem coragem de abordar esse assunto, mas a “Casa do Povo” é o retrato fiel do coronelismo político que ainda sobrevive no estado em pleno século XXI.

Rossoni demitiu hoje a estudante Amanda Jaqueline, que estava lotada no gabinete do deputado Professor Lemos (PT). Ela participou ontem da ocupação do plenário, contra a terceirização da saúde.

Você acha que termina aí o terrorismo, caro leitor? Que nada. A turma ligada ao tucano espalha o pânico entre os funcionários dos gabinetes da oposição. Tudo porque pensam diferentes do tucanato.

A velha mídia não tem coragem de falar sobre isso. Uma pena. Perde a democracia.

Comentários encerrados.