Wall Street: jornais portestam contra violência policial

via portal Vermelho

Treze organizações de mídia prestaram uma queixa ao Departamento de Polícia da Cidade de Nova York contra as agressões, detenções e limitações ao trabalho dos jornalistas durante os protestos “Ocupe Wall Street”, segundo o New York Times.

Entre as organizações, estão os jornais The New York Times, The New York Post e The Daily News; as agências Associated Press, Thomson Reuters e Dow Jones & Company; a Associação Nacional de Fotógrafos de Imprensa e o Comitê de Repórteres pela Liberdade de Expressão. Outros grupos jornalísticos também anunciaram ter formado uma Coalizão em Favor da Primeira Emenda para monitorar a conduta da polícia em relação à  imprensa e “combater” atos de censura, informaram a New York Magazine e o Clube de Imprensa de Nova York.

A União de Liberdades Civis de Nova York também enviou uma reclamação formal ao prefeito Michael Bloomberg e ao comissário de polícia, Raymond Kelly, na qual afirma que a Polícia de Nova York está “agressivamente impedindo” que os jornalistas façam seu trabalho, protegido pela Constituição, e, em alguns casos, até atacando jornalistas”, informou a Associated Press.

Citando jornalistas detidos, agredidos ou impedidos de tirar fotos , a queixa destaca: “As ações da polícia na semana passada foram mais hostis do que em qualquer outro evento recente!, de acordo com o New York Times, que criticou ainda o controverso processo de concessão de credenciais de imprensa.

Fonte: Blog Jornalismo das Américas.

Comentários encerrados.