Veja o vídeo: “Eu não entendo de futebol”, diz Petraglia

A possibilidade de queda do Clube Atlético Paranaense (CAP) para a segunda divisão do Campeonato Brasileiro é bastante real. O time rubro-negro respira com ajuda de aparelhos. Vai ao Atletiba no próximo domingo (4) dependendo de resultados de terceiros, mesmo que vença o clássico.

Pois bem. O fraco desempenho em campo repercute na eleição da direção do CAP prevista para o próximo dia 15 de dezembro. O comandado do Clube é disputado por Diogo Braz, da chapa Paixão pelo Furacão, e Mario Celso Petraglia, da chapa CapGigante.

Os desafetos de Petraglia divulgaram nesta segunda-feira (28) um vídeo em que ele admite numa reunião do Conselho Deliberativo, ocorrida no dia 31 de maio deste ano, que não entende de futebol.

“Não me proponho a estar aqui trabalhando porque não é o meu metier. Eu não entendo de futebol e não tenho motivação. A minha motivação foi pra isso. Pra fazer patrimônio pra esse clube ser grande”, disse Petraglia, quando discorria sobre a obra na Arena da Baixada visando a Copa de 2014.

“à‰ esse que pretende ser o salvador do nosso Atlético?”, sapecou Diogo Braz, que concorre à  presidência do Conselho Administrativo.

Paralelamente à  divulgação do vídeo em que Petraglia diz que não entende de futebol, àŠnio Fornéa, que disputa a presidência do Conselho Deliberativo, busca desvincular-se da atual direção do CAP.

Em entrevista à  CNT na noite de ontem, Fornéa disse que voltou ao Atlético a convite de Mario Celso Petraglia, que teria pedido sua ajuda, mas que logo saiu porque não concordava com a gestão de Marcos Malucelli — o atual presidente do Clube.

“O que me levou a sair foi exatamente por não concordar absolutamente com a maneira como o futebol vinha sendo tratado. Eu não tenho vínculo político com ninguém, nem com Petraglia nem com Malucelli. Meu vínculo é com o Atlético”, esquivou-se na entrevista.

A campanha eleitoral no Clube Atlético Paranaense, a última mais importante deste ano no estado, tende a recrudescer a partir da semana que vem. A chapa liderada por Fornéa e Braz acusa o adversário de torcer pelo “quanto pior é melhor” do time para “tomar de assalto” a direção do Atlético.

“Quem não entende de futebol poderá salvar o Atlético?”, perguntam os membros da Paixão pelo Furacão.

Como se vê, a eleição dos atleticanos será mais animada e emocionante que a disputa pelo governo do Paraná ocorrida em 2010. Aperte o cinto, caro leitor.

Comentários encerrados.