Situação do ministro é insustentável!, diz o pedetista Osmar Dias

Osmar Dias.

por André Gonçalves, via Gazeta do Povo

O presidente do PDT no Paraná, Osmar Dias, definiu ontem como insustentável! a permanência do colega de partido Carlos Lupi no Ministério do Trabalho. Para o ex-senador, o mínimo a ser feito por Lupi é pedir afastamento até que as denúncias contra ele sejam esclarecidas. Ele também garantiu que a direção estadual do partido continuará apoiando a presidente Dilma Rousseff, independentemente de uma saída traumática do ministro.

A situação se agravou muito com essas imagens que apareceram nos últimos dias!, disse Osmar, referindo-se à  divulgação de imagens de Lupi utilizando um avião que teria sido pago pelo diretor de uma ONG para se deslocar no Maranhão, em 2009. à‰ algo insustentável. Eu defendo que, se o Lupi quiser continuar lutando pelo cargo, que pelo menos se afaste para facilitar as investigações.!

O ex-senador admitiu que, sem o ministro, que é presidente licenciado da legenda, será difícil para Dilma encontrar interlocutores com o partido. Mas ela tem como dialogar com as nossas bancadas na Câmara e no Senado. Se for para conversar, existem outros membros do partido que estão no governo, como eu, que podem ajudar!, complementou Osmar, que é vice-presidente de agronegócio do Banco do Brasil.

Os números, no entanto, favorecem Lupi. Dos 26 deputados pedetistas, só José Antônio Reguffe (DF) e Miro Teixeira (RJ) se opõem ao ministro. Dentre os cinco senadores, apenas Cristóvam Buarque (DF).

Oposição, não

Mesmo com uma possível demissão, Osmar não acredita que a cúpula do partido aceite deixar a base governista e ir para a oposição.

Segundo ele, qualquer mudança de rumo em Brasília não vai afetar os planos do PDT paranaense. A principal aposta da sigla na disputa municipal de 2012 no Paraná é o ex-deputado federal Gustavo Fruet. Recém-saído do PSDB, Fruet é pré-candidato à  prefeitura de Curitiba e negocia a formação de uma aliança com outros partidos da base de Dilma !“ em especial, o PT. Uma movimentação brusca do PDT no plano nacional poderia fortalecer a pré-candidatura de Ratinho Júnior (PSC), que também pleiteia o apoio das legendas governistas.

Ministeriável

Nos últimos dias, diante da incerteza da permanência de Lupi na Esplanada, o ex-senador Osmar Dias passou a ser cotado para assumir o Ministério da Agricul!­!­!­tura. Isso ocorreria em uma possível reforma ministerial prevista para janeiro, que implicaria em remanejamento de pastas entre os partidos aliados.

5 Comentários

Os comentários não representam a opinião do Blog do Esmael; a responsabilidade é do autor da mensagem, sujeito à legislação brasileira.

  1. Se fosse ele, Osmar, a vitima das acusações deixava o cargo?
    Precisa responder? É o tipo da atitude idiota, sempre quando tem gente sendo acusada esta frase é lugar comum: “afastar-se do cargo para não atrapalhar as investigações”. É o tipo da ironia hipocrita, nojenta e diabolica.

  2. Claro como a luz do dia sr Osmar Dias. Só falta dizer: ”Aceito o doce sacrifício de ser nomeado para o cargo Sra. Presidenta”. Cadê a honra, o pudor, a dignidade, o companheirismo, a lealdade? O poder acima de tudo, o resto que se dane.

  3. O Osmar está certo, tem posição. Pior é o Gustavo Fruet, que mais uma vez se omitiu em temas polêmicos. Finge não ser do PDT e não ter relação nenhuma com o ministro Lupi. Cadê o combativo Gustavo? Se escondeu no anonimato?

  4. O Osmar está certo, tem posição. Pior é o Gustavo Fruet, que mais uma vez se omitiu em temas polêmicos. Finge não ser do PDT e não ter relação nenhuma com o ministro Lupi. Cadê o combativo Gustavo? Se escondeu no anonimato?

  5. Já dizia um antigo político do Paraná: “companheiro não se deixa na chuva!”. Por isso o Osmar deveria sustentar o ministro até o último segundo e não jogá-lo às feras como está fazendo. Deixar o cargo? Nem a um inimigo se pede isso. Olha o rumo, companheiro!