Polícia e manifestantes entram em confronto na Grécia

Polícias prendem manifestante durante manifestação em Atenas.

do G1

Manifestantes e policiais entraram em confronto nesta quinta-feira (17) na Grécia, em frente ao Parlamento grego e da embaixada dos Estados Unidos. Milhares de pessoas protestam no centro de Atenas para expressar a insatisfação com as medidas de austeridade, no dia em que é lembrada a repressão da revolta estudantil pela junta de coronéis em 1973.

Jovens jogaram pedras na polícia, que respondeu com o disparo de gás lacrimogêneo. Cerca de 7 mil policiais monitoram os manifestantes.

Cerca de 30 mil pessoas marcharam pelo centro de Atenas tocando tambores, empunhando bandeiras vermelhas e cantando ‘Fora UE e FMI!’, no primeiro teste público para o primeiro-ministro tecnocrata Lucas Papademos e seu partido de coalizão de três partidos.

Estudantes, militantes de esquerda e anarquistas tomaram a frente da passeata. Os tradicionais slogans do levante estudantil receberam um tom muito atual para denunciar “a junta dos bancos, a União Europeia e o FMI”, como proclamava uma bandeira em clara alusão à  política de austeridade imposta à  Grécia por seus credores.

Alguns manifestantes também despejaram sua ira contra a participação da extrema direita no novo governo de coalizão socialista-conservador, introduzido na semana passada. Carregavam as palavras de ordem “abaixo o governo fascista”.

O país tem hoje uma dívida equivalente a cerca de 142% do Produto Interno Bruto (PIB) do país, a maior relação entre os países da zona do euro. O volume de dívida supera, em muito, o limite de 60% do PIB estabelecido pelo pacto de estabilidade assinado pelo país para fazer parte do euro.

Comentários encerrados.