Blog do Esmael

A política como ela é em tempo real.

Imagens mostram que vereador do PSDB sabia de fraude em seu mercado

via G1 PR/RPC TV

Mesmo negando conhecimento sobre o esquema fraudulento de saques no mercado de sua propriedade, o vereador Odilon Volkmann (PSDB) foi flagrado no estabelecimento no mesmo dia em que a ação foi registrada pelas câmeras ocultas da RPC TV. Na ocasião, ele ainda orientou o repórter, acreditando se tratar de um servidor da prefeitura de Curitiba.

Funcionários da prefeitura foram filmados utilizando os Cartões Qualidade para sacar dinheiro em lojas da cidade. O mercado de Volkmann cobra 10% de comissão pelo serviço ilegal prestado aos funcionários. Os cartões são usados para fazer compras com desconto em folha, em algumas lojas credenciadas. Segundo a Prefeitura, as negociações envolvendo empréstimos só podem ser feitas com o cartão em instituições financeiras devidamente credenciadas junto ao Banco Central.

Questionado pela reportagem, o vereador negou conhecer a fraude, mas informado que sua imagem estava registrada, o discurso mudou. Se existia uma gravação tudo bem, mas eu realmente não percebi que houve um ato ilícito nesse sentido!, afirmou.

Volkmann é suplente do Conselho de à‰tica da Câmara, que deve investigar o caso. Estou pedindo à  Corregedoria da Casa para que se posicione e envie ate ao Conselho a sua posição em relação a isso!, afirmou o presidente do Conselho, Francisco Garcez (PSDB).

Crime

De acordo com o delegado Jairo Estorilo, a situação pode ser enquadrada em vários tipos de crime. A princípio ele cometeu crime contar relação de consumo (…), também a questão da sonegação fiscal, sem dúvida, e provável que também tenha incidido em algum tipo de lei contra crime popular!. O Ministério Público abriu investigação sobre o caso na manhã desta quarta-feira (30).

Também nesta quarta, a prefeitura suspendeu as operações no estabelecimento de Volkmann. Estamos tomando todas as providências cabíveis para que esse estabelecimento seja descredenciado ainda hoje!, afirmou o Diretor de Administração Pessoal, Danilo Bazello. Uma sindicância deve ser aberta para avaliar a situação, e punir os responsáveis.

Comentários desativados.