Igreja Católica divulga nota e critica aumento de subsídios para os políticos de Maringá; ouça o áudio

Dom Anuar, arcebispo de Maringá.

por Murilo Battisti, via rádio CBN de Maringá

Assinado pelo arcebispo Dom Anuar Battisti, o documento pede que os vereadores revoguem o projeto, que reajustou os salários do prefeito, vice, secretários e dos parlamentares.

Ouça o áudio:

[audio:http://www.cbnmaringa.com.br/Conteudo/noticias/Cr%C3%ADtica_MB_BOLETIM_25.11.11.mp3]

3 Comentários

Os comentários não representam a opinião do Blog do Esmael; a responsabilidade é do autor da mensagem, sujeito à legislação brasileira.

  1. Até eu critico aumento abusivo de salario para politicos…às vezes com razão…não tem retorno à sociedade…mas a igreja criticar? Pode claro, mas eles (religiosos) não seriam mais uteis cuidando dos assuntos religiosos? Olhem para o proprio umbigo…pedofilia? Nem uma palavra?

  2. Veja a nota na integra!
    ARQUIDIOCESE DE MARINGÁ

    NOTA SOBRE O AUMENTO DOS SUBSÍDIOS DOS VEREADORES E SALÁRIOS DOS SECRETÁRIOS MUNICIPAIS E PREFEITO DE MARINGÁ

    Somos sabedores e reconhecedores da importância do poder legislativo em todas as esferas, principalmente na municipal. Toda campanha difamatória generalizada contra o poder legislativo pode ser muito perigosa no sentido de ferir a democracia e gerar um desequilíbrio entre os poderes. Não podemos negar a atuação, por vezes excelente, de alguns vereadores que, pela qualidade de seus projetos, transparência de seus atos e interesse pelo bem comum e dos mais pobres, dá orgulho a seus eleitores e a todos os cidadãos. Reconhecemos que foi muito oportuna a economia de R$ 6,9 milhões no período de janeiro de 2009 a dezembro de 2010, mais a previsão de R$ 3,4 milhões em 2011 e a redução dos cargos comissionados de aproximadamente 190 no início de 2009 para os atuais 68, que deve possibilitar maior economia em 2012.

    Porém, queremos manifestar nossa desaprovação pelo aumento do salário dos vereadores, secretários municipais e prefeito, chegando a 90%. Tal decisão não se justifica. Primeiro desaprovamos o modo como foi feito: votação em regime de urgência e sessão extraordinária trinta minutos depois. Ora, feito dessa forma, praticamente às escondidas, sem o povo saber e poder se manifestar, e parece ser esse mesmo o objetivo, fica com “cheiro” de coisa errada. O que é certo e justo é feito “às claras”, uma vez que os vereadores são pessoas públicas.

    Depois, desaprovamos também a proporção do aumento. Fica escandalosa essa proporção de 90%, uma vez que os trabalhadores, às vezes, para conseguirem somente a reposição da inflação, precisam até fazer greve.

    Queremos parabenizar os vereadores que votaram contra essa proposta. Estão mais sintonizados com a realidade e os interesses da população. De fato, não se pode mesmo generalizar.

    Ainda há tempo e possibilidades de se reverter essa decisão. Pedimos insistentemente que a comissão que pode propor a reversão o faça, e que seja aprovada pelos vereadores. Convocamos a todos, especialmente os católicos, dos quais somos pastores, a participarem democraticamente de todos os movimentos a favor dessa causa de reversão do aumento dos subsídios e salários. É fundamental que o povo se organize e participe, a fim de que haja democracia e justiça.

    Na esperança de que essa decisão seja revertida, prometemos nossas orações e nosso apoio no que nos cabe.

    Maringá, 24 de novembro de 2011.

    __________________________________

    ANUAR BATISTI

    ARCEBISPO METROPOLITANO DE MARINGÁ

  3. A Igreja Católica deve manter essa posição e insistir no pedido que fez “a Câmara, se necessário. Exigir que a sociedade decida qual o percentual de aumento a ser dado, se é que necessário!