Governo Richa também planeja pedagiar a PR-445

via Bondenews

O governo pode fazer uma Parceria Público-Privada (PPP) para exploração dos serviços na PR-445, principal rodovia estadual que corta a cidade de Londrina.

A rodovia tem pouco mais de 158 quilômetros de extensão, começa no entroncamento com a BR-376, em Mauá da Serra, e segue até o cruzamento com a PR-437, em Primeiro de Maio. A maior parte da via é pista simples.

A PPP seria uma alternativa para a duplicação da pista. Estudo de 2010 aponta que a construção de uma nova pista no trecho entre Londrina e Mauá da Serra custaria R$ 250 milhões, mas os valores já estão ultrapassados. O meio para a empresa privada ter retorno no investimento seria pela exploração do pedágio.

O número de praças ao longo do trecho é incerto. O que o governo sabe que os valores cobrados precisam ser inferiores aos praticados pelas concessionárias já espalhadas pelo interior do Paraná. “A economia estadual vive um bom momento com a volta do diálogo entre o governo e a iniciativa privada. Isso cria um cenário favorável para a busca de soluções para a infraestrutura viária”, disse o secretário estadual de Infraestrutura e Logística, José Richa Filho.

A Secretaria contratou um estudo sobre origem e destino das cargas e passageiros que circulam pelas estradas do Paraná. O objetivo é conferir maior precisão ao programa de recuperação de rodovias do Departamento de Estradas de Rodagem (DER), em fase final de planejamento. O governo prevê investir R$ 15 bilhões em diversos empreendimentos ao longo do Paraná.

Outras rodovias que podem receber pedágio por meio de PPPs são PR-323, entre Maringá e Umuarama, e federal BR-101, que seria construída como nova rota de acesso ao Porto de Paranaguá.

1 Comentário

Os comentários não representam a opinião do Blog do Esmael; a responsabilidade é do autor da mensagem, sujeito à legislação brasileira.

  1. Que saudade do Requiao, engraçado que a duplicação entre Cascavel e Toledo não foi pedagiada, porque será? Espírito público, isso é que falta ao Beto Richa, quer privatizar para no fundo beneficiar os deputados de sua base.