De olho em 2014, PMDB teme avanço do PSB

Vice-presidente Michel Temer (PMDB) e o governador Eduardo Campos (PSB).

A cúpula nacional do PMDB, liderada pelo vice-presidente da República Michel Temer, observa com atenção e preocupação o crescimento do PSB do governador pernambucano Eduardo Campos.

O objetivo do PSB é transformar-se em curto prazo, até 2014, na segunda força política do país. Hoje, a posição é ocupada justamente pelos peemedebistas.

Os socialistas contam com seis governadores (Amapá, Ceará, Espírito Santo, Paraíba, Pernambuco e Piauí), uma penca de prefeitos, dois ministérios no governo Dilma Rousseff (Integração Nacional e Portos), 35 deputados e três senadores.

O PMDB é “dono” de cinco governos (Maranhão, Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Rio de Janeiro e Rondônia), cinco ministérios (Minas e Energia, Turismo, Assuntos Estratégicos, Previdência Social e Agricultura), 18 senadores e 79 deputados federais.

O PT possui a maior bancada na Câmara com 86 deputados e é a segunda força no Senado com 13 parlamentares.

Em jogo está a vice na reeleição de Dilma em 2014. Fala-se em Brasília que o governador Pernambucano está de olho grande na cadeira que hoje pertence a Temer.

Comentários encerrados.