Caso Lupi: Sobre aviões, helicópteros, ONGs e mídia golpista

Câmera indiscreta da TV Globo captou o momento da pane na aeronave de Richa.

A histeria da imprensa sobre a carona do ministro Carlos Lupi (PDT) em um avião, cujo dono não se sabe ao cerco quem é, chega ultrapassar o limite da ridícula militância anti-Dilma e governo.

Na semana passada, as denúncias da revista Veja eram de que o ministro recebera propina e usufruíra de um voo em aeronave que pertencia ao presidente da ONG Pró-Cerrado, Adair Meira, que tem convênios assinados com o Ministério do Trabalho. Precisava-se de um elo.

Foi o próprio empresário-ongueiro que veio a público desmentir que fosse proprietário do avião King Air usado pelo pedetista em viagem pelo Maranhão em 2009. Portanto, a história de Veja ficou capenga. O que importa isso, se a ideia é derrubar o ministro?

Agora, o “crime” cometido pelo ministro foi ardilosamente reduzido pela mídia ao fato de viajar com o ongueiro, ambos de carona. “Lupi agora não é mais corrupto, é mentiroso”, indignou-se em carta a mulher de Lupi, a jornalista à‚ngela Rocha.

Registro aqui o que o jornalista Paulo Henrique Amorim sobre o uso de jatinhos pelas autoridades, no blog Conversa Afiada:

“1) Lupi usou dinheiro do Erário para ir ao Maranhão? Resposta: não. 2) Lupi usou o Ministério do Trabalho para beneficiar o empresário porque é dono do avião em que viajou? Não.”

Amorim lembra ainda que o ex-senador Heráclito Fortes (DEM-PI) era um caroneiro habitué em jatinhos de banqueiros. O jornalista recorda também que o ex-ministro da Ciência e Tecnologia, Ronaldo Sardenberg, da era FHC, fora absolvido pela Justiça Federal da acusação de usar avião da FAB numa viagem familiar a Fernando de Noronha.

Segundo Helena Sthephanowitz, na revista Rede Brasil Atual, o senador tucano Aécio Neves (MG) costuma voar no jato prefixo PT-GAF (foto), avaliado em R$ 24 milhões. O Aeroaécio! pertence à  empresa de táxi aéreo da família do banqueiro Gilberto de Andrade Faria, ex-dono do Banco Bandeirantes e padrasto de Aécio, falecido há 2 anos. O jato compõe a frota da empresa Banjet Táxi Aéreo Ltda. Os donos da Banjet são Clemente de Faria (filho do ex-banqueiro) e Oswaldo Borges da Costa Filho.

“A coisa complica quando o então governador Aécio nomeia um dos donos da Banjet, Oswaldo Borges da Costa Filho, para a presidência de uma estatal mineira: a Codemig (Companhia de Desenvolvimento Econômico de Minas Gerais)”, diz o texto de Helena.

O governador do Paraná, Beto Richa (PSDB), também adora aeronaves. Em maio deste ano, o tucano usou um helicóptero emprestado do empresário Jair Rosa, de Cornélio Procópio (PR), que mora na capital paulista.

A carona do governador tucano no helicóptero Bell 206L, prefixo PP-JFR, só veio à  tona porque fora flagrada ao vivo pela TV Globo, no dia 4 de maio, por causa de uma pane técnica, necessitando fazer um pouso forçado no Campo de Marte (SP).

O secretário nacional de Comunicação do PT, deputado federal André Vargas, disse ao blog que a escandalização da carona de Lupi em avião só faria sentido se a mídia fizesse o mesmo em relação à s caronas dos demotucanos.

Por fim, a questão das ONGs. O atual formato de convênios dessas entidades com o poder público que tanto “choca” a imprensa foi inventado no governo FHC. Em 1999, o tucano criou a figura jurídica da Organização da Sociedade Civil de Interesse Público (OSCIP) para justamente repassar o dinheiro da viúva sem fiscalização. Era uma tentativa de transferir as responsabilidades do Estado em áreas como saúde e educação para terceiros. Deu no que deu, mas sem a indignação da mídia com o criador (FHC) — aliado preferencial do Partido da Imprensa Golpista (PIG).

Comentários encerrados.