Por decreto, Rossoni aumenta salário da mesa executiva da ALEP em 100%

* Ato do tucano representará gasto extra de R$ 1,2 mi ao ano

Decreto de 1992 (clique na imagem para ampliar).

Decreto de 1992 (clique na imagem para ampliar).

O presidente da Assembleia Legislativa do Paraná, Valdir Rossoni (PSDB), silenciosamente e no sapatinho, alterou um decreto de 1992, que estabelecia gratificação de representação ao presidente da Casa, estendendo a mordomia aos demais membros da mesa executiva.

De acordo com informações colhidas na Assembleia, Rossoni aumentou o salário dos colegas de mesa em 100% que representará um gasto extra de R$ 1,2 milhão ao ano. O decreto n!º 1191/2011 está publicado na página 11 do Diário Oficial da Assembleia n!º 113, do dia 28 de setembro (clique aqui para acessar).

Decreto de 2011 (clique na imagem para ampliar).

Além de Rossoni, passarão a receber o gordo aumento os deputados Artagão de Mattos Leão Jr (1!º Vice-Presidente), Augustinho Zucchi (2!º Vice-Presidente), Douglas Fabrício (3!º Vice-Presidente), Plauto Miró Guimarães Filho (1!º Secretário), Reni Pereira (2!º Secretário), Stephanes Junior (3!º Secretário), Gilson de Souza (4!º Secretário) e Fabio Camargo (5!º Secretário).

O aumento salarial disfarçado de gratificação concedido por Rossoni não passou pelo crivo do plenário. Ou seja, 46 parlamentares ficaram chupando os dedos.

Os funcionários da Assembleia também estão revoltados com a gestão do tucano que posa de “paladino da moralidade”. Segundo eles, Rossoni é uma espécie de Robin Hood à s avessas, que tira dos mais pobres para dar aos mais ricos.

De acordo com um servidor da Casa que não quis se identificar, com a gratificação, em alguns casos, o aumento chega a 200% nos salários dos felizardos contemplados.

“Tudo é feito escondido, sem a transparência necessária”, acusa o servidor.

O aumento nos salários dos membros da mesa executiva até poderia ser concebível, se fosse concedido à s claras.

Comentários encerrados.