Pedido de vista adia para o dia 8 votação do Código Florestal no Senado

da Agência Brasil

Após leitura do relatório do senador Luiz Henrique (PMDB-SC) sobre o novo Código Florestal na Comissão de Agricultura e Reforma Agrária e na de Ciência e Tecnologia, os senadores fizeram pedido de vista conjunto para analisar o projeto com mais tempo. A votação do texto ficou então para o dia 8 de novembro. Em acordo, os parlamentares decidiram que as apresentações de emendas ao relatório devem ocorrer até terça-feira (1!º).

O relator disse que dividiu o texto em uma parte permanente, que regula o direito ambiental para o futuro, e outra transitória, com o objetivo de corrigir os erros do passado!. Quero destacar que a regularização de áreas degradadas será única e não haverá outra no futuro!, disse o senador Luiz Henrique. Segundo o texto, o proprietário rural em situação irregular poderá aderir a programas de regularização ambiental, assumindo o compromisso de recompor áreas desmatadas em um Termo de Ajustamento de Conduta (TAC).

Para a ministra do Meio Ambiente, Izabella Teixeira, o debate no Senado tem se mostrado revelador!. Estamos procurando dialogar pra procurar saídas permanentes, transparentes e aplicáveis!, destacou ao participar, na Câmara, do Encontro Brasileiro de Secretários de Meio Ambiente. Precisamos produzir condições para todos usarem o meio ambiente de acordo com a lei!, disse na manhã de hoje. à‰ preciso ter clareza na regra para que os que tinham propriedades anteriores ao código tenham o direito reconhecido, como é o caso de [donos de] cafezais e de plantação de uva!, completou.

Durante o prazo de vigência do TAC, não haverá autuação e as sanções recebidas antes de 22 de julho de 2008 serão suspensas, data também estabelecida na Câmara dos Deputados. Além disso, o relator destacou que o novo código proposto no Senado prevê incentivos econômicos! a quem presta serviços florestais. à‰ o produtor rural [tratado] como o maior guardião do meio ambiente!, disse.

Luiz Henrique falou da criação do Inventário Florestal Nacional, proposta que prevê o registro de cada árvore do país, em terras públicas e privadas. O presidente da Comissão de Ciência e Tecnologia do Senado, Eduardo Braga (PMDB-AM), confirmou a votação do relatório com as emendas nas duas comissões no dia 8 de novembro à s 8h30.

1 Comentário

Os comentários não representam a opinião do Blog do Esmael; a responsabilidade é do autor da mensagem, sujeito à legislação brasileira.

  1. Coitadas das nossas árvores, tem dia para a sentença de morte. Viva o agronegócio. O bordão ¨Preservar para produzir mais¨é o maior engodo.