Oposição protocola pedido de cassação de vereador de Maringá que fez “strip-tease”

por Marcelo de Souza, via Folha de Maringá

Vereador João Alves (PMDB).

No fim da tarde desta segunda-feira (3) quatro vereadores de oposição protocolaram um ofício pedindo ao presidente da Câmara, Mário Hossokawa (PMDB), a perda de mandato do vereador João Alves (PMDB) por quebra de decoro parlamentar.

Mário Verri (PT), Humberto Henrique (PT), Marly Martin (DEM) e Maneol Sobrinho (PCdoB) assinaram o pedido. Os vereadores precisam de maioria absoluta, 8 votos, para caçar o mandato de João Alves.

O regimento interno da Câmara diz que perderá o mandato o vereador cujo procedimento for declarado incompatível com o decoro parlamentar!.

Na sessão da ultima quinta (29) o vereador João Alves ameaçou tirar a roupa na Câmara se os colegas continuassem com a votação do projeto que acaba com a restrição à  construção de casas geminadas.

O próprio vereador conseguiu as assinaturas necessárias para que a alteração do projeto fosse votado em regime de urgência, mas como João Alves percebeu que não conseguiria votos suficientes para manter a restrições à s casas geminadas, deu um jeito de suspender a sessão.

Alguns vereadores da base do governo aproveitaram para saírem da sessão alegando constrangimento. Deu certo, pois só ficaram no plenário quatro vereadores (Mário Verri, Humberto Henrique, Marly Martin e Manoel Sobrinho), metade do mínimo necessário para manter a sessão, que acabou sendo suspensa pelo presidente da Câmara, Mário Hossokawa, por falta de quórum.

O projeto que acaba com a restrição à  construção de casas geminadas ainda esta em regime de urgência e deve ser votado nas próximas sessões, com ou sem João Alves.

Comentários encerrados.