O esforço para alimentar a crise sem provas contra Orlando Silva

Ex-ministro José Dirceu.

por Zé Dirceu

O nome do ministro do Esporte, Orlando Silva, praticamente desapareceu da Veja desta semana como pivô da crise. Depois de terem dito até que ele recebia pacotes e caixas de dinheiro na garagem do Ministério, mudaram o foco do noticiário. Como não apareceram até agora as provas do soldado ongueiro PM de Brasília, João Dias, contra o ministro, o centro do noticiário desta edição de agora da revista é a história de que assessores seus – não ele – instruíram o soldado sobre como se livrar e não ser descoberto nas falcatruas que teria cometido com dinheiro público em suas ONGs.

Veja fala de gravações dessas instruções de assessores do ministro. Sobre elas, o Ministério do Esporte emitiu nota em que esclarece que esses diálogos de servidores da pasta são uma “suposta gravação que cita supostos trechos, partes de frases, palavras isoladas, com o intuíto claro de induzir os leitores”.

O ministério adianta, ainda, que vai pedir à  Polícia Federal (PF) que as “supostas gravações” sejam incorporadas à  investigação sobre o caso e que “adotará os procedimentos cabíveis para apurar eventuais responsabilidades de servidores”. Mas, como sempre, o material da revista terminou pautando os jornais do fim de semana até esta 2!ª feira.

Macartismo com força total
Até porque eles não têm fatos novos para prosseguir na campanha denuncista contra o governo. O Estadão aproveitou para dar praticamente uma edição inteira da (editoria de) Política contra o PC do B, falando de um “esporteduto” da legenda. Nada menos que oito matérias ontem, mais inúmeras hoje. Macartismo, ranço puro contra um partido comunista.

Ranço ao PC do B que eles, aliás, ignoravam até poucos dias atrás. Não davam ao partido a menor atenção, haviam-no esquecido. Mas, agora, aproveitam a situação de aliado da legenda para exteriorizar esse anticomunismo, ótimo para eles irem na linha que querem contra o governo.

O jornalão da família Mesquita traz até uma matéria de seu correspondente em Zurique (Suíça) que nunca escreve sobre política interna brasileira, dizendo que o ex-presidente Lula mandou o ministro Orlando “resistir” e a presidenta Dilma Rousseff não teve condições de demiti-lo.

Temor de “crise” na FIFA vem de um velho conhecido
Afirmar isso é desconhecer quão ciosa a presidenta Dilma é da sua autoridade e a forma como atua o ex-presidente da República desde que deixou o cargo dia 1!º de janeiro deste ano. O correspondente do Estadão diz em sua matéria, inclusive, que a FIFA teme uma crise em relação à  Copa de 2014 no Brasil.

Só que fundamenta esse raciocínio e vê essa “crise” a partir de declarações de Jerome Valcke, secretário geral da entidade. à‰ isso mesmo que vocês leram e perceberam: Valcke é o mesmo que sempre teve posição cética e crítica em relação ao Brasil. à‰ o gerador das grandes manchetes negativas, tão ao gosto da mídia brasileira, de que os nossos estádios não vão ficar prontos para a Copa, tampouco as demais obras ficarão, de que nada vai andar, nem funcionar…

A propósito do caso Orlando Silva, leiam também o artigo “Campanha da mídia para derrubar ministros: significados”, de autoria do Secretário Geral Nacional do PT, deputado Elói Pietá (SP), publicado no portal do partido.

3 Comentários

Os comentários não representam a opinião do Blog do Esmael; a responsabilidade é do autor da mensagem, sujeito à legislação brasileira.

  1. QUANDO EU VEJO ESSE SUJEITO, ZÉ DIRCEU ME DÁ NOJO.

  2. Bem feito. Em 2002, quando saiu o resultado da eleição, o Lula saiu escondido por trás para dar entrevista exclusiva à Globo…

  3. Temos que preservar a liberdade de imprensa,mas tambem temos que responsabilizar revistas e pessoas que denunciam e mancham o nome de inocentes sem provas, como é o caso do Ministro do Esporte.