Governo do Paraná deve desculpas a Dilma, diz líder do PT

* Deputado cobrou que o governo Richa coloque em prática o discurso de grandeza! e que o próprio governador divulgue nota esclarecendo o fato e pedindo desculpas a Dilma

Deputado Eno Verri (PT).

Deputado Eno Verri (PT).

O deputado estadual e presidente do PT Paraná, Enio Verri, criticou duramente nesta segunda-feira, 17, a E-Paraná, nova denominação da TV Educativa, por ter censurado! o discurso da presidenta Dilma Rousseff durante a transmissão da solenidade de anúncio da liberação de R$ 1,75 bilhão em recursos da União para a construção do metrô, que ocorreu na tarde da última quinta-feira, 13, em Curitiba.

A rede trasmitiu integralmente os discursos do governador Beto Richa (PSDB) e do prefeito Luciano Ducci (PSDB), mas não levou ao ar o discurso do ministro das Cidades, Mário Negromonte, e transmitiu com inúmeros cortes o discurso de Dilma. No lugar da presidenta e do ministro, a E-Paraná transmitiu o desenho animado Cocoricó.

O mínimo que eu espero do governo estadual é uma nota pública de desculpas à  Presidência da República. O líder do governo Ademar Traiano destacou a grandeza do governo Richa. Mas cade a “grandeza” para assumir o erro e pedir desculpas? O governador devia divulgar uma nota explicando exatamente o que ocorreu. Grandeza é reconhecer que numa relação republicana podem ocorrer erros e pedir desculpas!, afirmou Verri, que destacou a postura republicana da presidenta Dilma no caso do metrô.

O parlamentar disse que não acredita na hipótese de que tenha havido interferência direta do governador para que o discurso da presidenta não tenha sido transmitido. No entanto, na opinião de Verri, o episódio ilustra bem a maneira como a gestão Richa enxerga, em linhas gerais, o Partido dos Trabalhadores e o governo da presidenta Dilma.

O mais importante deste caso é que ele mostra a cultura interna do governo estadual. Mostra o preconceito e a total falta de respeito que a gestão Beto Richa tem com o partido que governa o Brasil e principalmente à  maior autoridade do País, que é a Presidência da República!, afirmou.

O deputado também rebateu os argumentos apresentados pelo líder do governo na Assembleia, Ademar Traiano (PSDB). O governista disse na sessão de hoje que problemas técnicos impediram que o discurso de Dilma fosse transmitido ao vivo.

Na sexta-feira, a E-Paraná divulgou que foram concedidos apenas 13 minutos da programação para a presidenta e que o mesmo tempo foi disponibilizado ao governador Beto Richa. Desta maneira, segundo a E-Paraná, não houve favorecimento a nenhuma das partes.

Vamos supor que o governador visite uma cidade do interior para fazer um anúncio muito importante. O discurso do prefeito dura 10 minutos e do governador dura mais, mas a rádio que está transmitindo corta o discurso do governador, porque o prefeito falou apenas 10 minutos. Qual seria a reação do governador neste caso? Iria achar correto? Quem é mais importante, o prefeito ou o governador? O que o governo quer que a oposição pense? Que foi meramente um problema técnico?!, indagou.

Uma reportagem publicada no jornal Gazeta do Povo de sábado, 15, confirma que não foram registrados problemas técnicos durante a transmissão do evento. A EBC (Empresa Brasileira de Comunicação), que forneceu o sinal à  E-Paraná garantiu que não houve problemas técnicos. A à“TV, canal do Grupo Paranaense de Comunicação, transmitiu a cerimônia usando o sinal da EBC e também não registrou problemas na geração.

Metrô – Durante o evento, que contou com a presença dos ministros Gleisi Hoffmann, Paulo Bernardo e Mirian Belchior, Dilma anunciou a liberação de R$ 1 bilhão em recursos a fundo perdido do Orçamento Geral da União (OGU) e mais R$ 700 milhões em empréstimos para a prefeitura por meio do PAC (Programa de Aceleração do Crescimento) das Grandes Cidades. O custo total da obra é avaliado em R$ 2,2 bilhões. O montante dos recursos federais na construção da primeira etapa do metrô curitibano representa quase 80% do custo total da obra.

Comentários encerrados.