Curitiba registrou 4633 acidentes com ciclistas nos últimos 10 anos

via blog Bicicleteiros

De primeiro de janeiro de 2001, quando assumiu a prefeitura Beto Richa, até o dia 30 de setembro de 2011, já na gestão do Luciano Ducci, os números oficiais apresentam valores expressivos. Não de quilômetros de ciclovias ou ciclofaixas, ou de bicicletários e paraciclos instalados, mas sim de acidentes envolvendo os pedalantes desta sustentável! capital.

Foram 4633 (quatro mil seicentos e trinta e três) acidentes envolvendo ciclistas com carros, caminhões, ônibus e motos. Destes, 65 foram vítimas fatais, no local do acidente. Não contabilizados aqui os que morreram a caminho do hospital ou que ficaram gravemente feridos.

Nestes mais de 10 anos, muito se falou em sustentabilidade, mobilidade urbana, muito foi prometido em termos de estrutura cicloviária e agora, ao final desta década de gestão Richa/Ducci, eles solene e estrondosamente oferecem o Circuito Ciclofaixa de Lazer!, com extensos 4 km de faixa à  esquerda !“ pois fora o único domingo do mês que funcionará a faixa de lazer, se o ciclista for atropelado e não estiver no lado direito da via, a responsabilidade é dele!

Estão estampados em inúmeros painéis pela cidade a propaganda da Faixa de Lazer! (se fosse ciclo-faixa- seria na direita das vias!), o que se gasta em publicidade talvez seja muito mais do que custaram aquelas pobres e desnutridas linhas vermelhas no chão.

Os dados são oficiais e foram obtidos no site bombeiroscascavel.com.br . Se imaginarmos as ocorrências sem registro, o número de acidentes, inequivocamente, deve ter sido muito maior.

2 Comentários

Os comentários não representam a opinião do Blog do Esmael; a responsabilidade é do autor da mensagem, sujeito à legislação brasileira.

  1. Essa é para o TRABAIADÔ.

    Mal sabe vc que se alcunha “TRABAIADÔ” de que mais de 80 dos deslocamentos feito por ciclistas é para mobilidade para o trabalho.

    Mas pelo visto, além de ignorante vc é um insensível e enquanto não for seu filho, sua filha, seu sobrinho, sua mãe, a vítima de um motorista assassino, o número será pequeno na sua pequena cabeça.

    Agora falando em imprudência, onde será que é mais fácil encontrar um imprudente, pedalando ou sentado em um SUV ou outro automotor potente ?
    Se vc gosta de estatísticas e entende alguma coisa poderá encontrar farto material que lhe conduzirão ao um entendimento correto.

    Pode ter certeza que ciclistas de verdade não andam na contramão, não pegam rabeira nos ônibus (isso é coisa de piá de merda e piá de merda é o que mais tem andando de carro).

    Quanto as canaletas, nota-se que vc não pedala nem nuca padalou, pois apesar da proibição (ilegal) dos ciclistas andarem na canaleta, é a única via que resta em Curitiba que chega mais próxima de uma estrutura cicloviária decente.

    Se uma vida pra vc não vale nada, vc realmente é um caso perdido e talvez por isso tenha o hábito de generalizar e desrespeitar ciclistas e pedestres. Bem o tipo de pessoa que não faz falta no mundo.

  2. SÓ!!!

    Esta matéria para poder mostrar um dado catastrófico (só pra variar rs rs rs), teve que somar 10 anos e, obviamente somado o número é grande. Eu particularmente acho pequeno.

    Mas vamos estratificar a informação. 463 acidentes por ano e pouco mais de um por dia; 6,5 vitimas fatais. Logo não é tão grande assim.

    Mas digo que é pequeno devido a imprudência dos ciclistas. Particularmente circulo bastante por curitiba, ora de carro, ora de ônibus ou mesmo à pé. Nas minhas “andanças” observo tanta imprudência dos ciclistas, que me admira que o numero de acidentes seja tão pequeno. Eles passam entre os carros, pedalam na contra-mão, nas canaletas dos onibus, pegam carona com ônibus, etc, etc.