“Cansei” perde força na internet e nas ruas

Grupos contra a corrupção perdem força nas redes sociais

da Folha

Grupos que se organizaram pelo Facebook planejam para o feriado em 12 de outubro novas manifestações anticorrupção em 11 Estados.

Os protestos, porém, devem ser menores que os vistos no Sete de Setembro.
Naquele, mais de 130 mil pessoas confirmaram presença no site. Agora, o número caiu para cerca de 40 mil.

Fora da internet, as manifestações de setembro tiveram baixa adesão, com exceção de Brasília, que reuniu cerca 12 mil pessoas, segundo a Secretaria de Segurança Pública do Distrito Federal.

Em São Paulo, 1.200 pessoas foram à  avenida Paulista. à€ Cinelândia, no Rio, foram cerca de 50 pessoas. Os grupos, que desta vez se uniram na organização dos atos, se dizem apartidários. Com ataques à  classe política em geral, eles têm como bandeiras o fim das votações secretas no Congresso, a validação da Lei da Ficha Limpa e a transformação da corrupção em crime hediondo.

Para Lucas Lhamas, do Anonymous, o principal é a união dos grupos. “A questão do número de pessoas é um tanto relativa”, disse.

Rodrigo Montezuma, do Brasil contra Corrupção, afirma que, se uma das reivindicações for atendida, o saldo das manifestações já é positivo. “Mas, não tenho perspectiva de a gente continuar fazendo protesto todo mês.”

Já Ligya Fernandez, do grupo Caras Pintadas, acredita que o movimento está mais fortalecido. “As pessoas estão participando mais.”

Comentários encerrados.