Câmara rejeita abertura de CP contra Barbosa Neto

por Fábio Silveira, via Jornal de Londrina

Prefeito Barbosa Neto (PDT).

A Câmara derrubou ontem, com nove votos a favor e oito contra, o pedido de abertura de uma Comissão Processante para apurar a possível responsabilidade do prefeito Barbosa Neto (PDT) e do vice, José Joaquim Ribeiro (PSC), no treinamento da Guarda Municipal. Eram necessários 13 votos favoráveis para abrir a CP, que poderia levar à  cassação dos mandatos do prefeito e do vice. Com a decisão, o Legislativo deixa sem resposta a denúncia de que teriam ocorrido irregularidades, já que a Comissão Especial de Inquérito (CEI) aberta para investigar a questão teve o relatório rejeitado pelo Plenário, no começo de junho.

Contrariando todas as expectativas, o requerimento foi votado em poucos minutos, sem que nenhum vereador discursasse contra ou a favor da abertura da comissão. Depois da votação, eles se manifestaram: votei porque minha base exigiu e porque Londrina quer que o Executivo explique melhor o que aconteceu!, argumentou Eloir Valença (PT). Londrina vai cobrar de todos nós, vereadores. Pelo sim e pelo não!, completou. O petista afirmou que o serviço não foi prestado por inteiro e o dinheiro não foi devolvido: eu quero o dinheiro de volta!, reclamou.

Lenir de Assis (PT), relatora da CEI da Guarda, que teve rejeitada a sua tese de que o prefeito teria responsabilidade nas irregularidades, também reclamou da decisão do plenário. Foi uma vergonha. A votação mais rápida que já aconteceu até hoje, um recorde e nós não enterramos a CP, mas a possibilidade de dar transparência aos fatos!, disparou a vereadora. Segundo ela, não restavam dúvidas de que houve irregularidade [no treinamento da Guarda]!. A petista disse ver um problema grave! na rejeição da CP e disse esperar que as outras CEIs em andamento na Casa não meçam esforços! para investigar as denúncias.

Já Tito Valle (PMDB), que surpreendeu por ter votado a favor da abertura da CP (ele é governista) justificou que atendeu a solicitação do partido! e do seu grupo!. Debatemos e o partido decidiu que o vereador deveria se posicionar a favor da investigação, embora eu tenha participado amplamente de todas as investigações e entendi até que o trabalho do Jairo [Tamura, presidente da CEI, que redigiu o relatório rejeitado pelo plenário] foi fundamentalmente embasado, tanto jurídico quanto faticamente!, explicou. Valle defendeu que o serviço foi realizado pela empresa contratada e justificou o seu voto dizendo que democracia é o voto da maioria!.

Tamura, que presidiu a CEI da Guarda e redigiu o relatório rejeitado, disse que seu texto apontou erros!, e entendeu ao contrário do que outros pregaram [a responsabilização do prefeito]!. Na avaliação de Tamura, as investigações da CEI não apontaram para a responsabilidade do prefeito Barbosa Neto. Fizemos a nossa parte de investigação!, concluiu.

Comentários encerrados.