Câmara de Curitiba gastou R$ 62 milhões com propaganda desde 1999, segundo TC

Deputado Dr. Rosinha (PT).

do Bem Paraná

Os recursos gastos pela Câmara Municipal de Curitiba com a publicação de matérias pagas, entre os anos de 2006 e 2010, totalizaram R$ 19,8 milhões e foram distribuídos entre 302 jornais, rádios, sites e emissoras de TV. A lista dos veículos e o valor total dos gastos no período constam da instrução preliminar concluída esta semana pela Diretoria de Contas Municipais (DCM) do Tribunal de Contas (TC) do Paraná. O documento foi obtido pela assessoria do deputado federal Dr. Rosinha (PT-PR).

Segundo o petista, alguns dos veículos de comunicação citados são ligados a vereadores ou a seus parentes, entre eles uma irmã do próprio João Cláudio Derosso (PSDB), presidente do Legislativo. De acordo com o deputado, houve até mesmo casos de pagamentos por aparições de vereadores em colunas sociais. Entre as empresas listadas estão inclusive veículos sediados fora da capital paranaense, em cidades como Colombo, Mandirituba e Almirante Tamandaré.

“Este documento do Tribunal de Contas é mais um importante subsídio para o Conselho de à‰tica da Câmara. à‰ também um balde de água fria naqueles que tentam absolver Derosso, que merece ser cassado e processado pela Justiça!, avalia Rosinha. A CPI corre inclusive o risco de ser atropelada pela inspeção do Tribunal de Contas.!

No total, a planilha do TC aponta que a Câmara gastou R$ 34 milhões ao longo de cinco anos de contrato. Desse total, R$ 28 milhões foram repassados à  empresa Visão Publicidade Ltda, e outros R$ 6 milhões, à  Oficina da Notícia Ltda, de propriedade de Cláudia Queiroz Guedes, esposa do vereador tucano e ex-servidora do Legislativo. As duas empresas foram as únicas que participaram do processo licitatório.

Analisados os documentos e informações encaminhados pela Câmara, a conclusão é a de que se deve aprofundar a fiscalização exercida pela Corte!, diz trecho da instrução da Diretoria de Contas Municipais do TC. O Legislativo remeteu ao tribunal apenas amostras dos documentos solicitados, alegando o grande volume da documentação existente. A publicação de matérias pagas, no valor de R$ 19,8 milhões, representou 58,2% dos gastos. Outros 41,3% foram gastos com a suposta impressão do jornal Câmara em Ação!, que custou R$ 14 milhões.

O documento da DCM conclui pela necessidade de instauração de um processo de tomada de contas extraordinária para, entre outras coisas, registrar as irregularidades, apurar os danos ao erário e os respectivos responsáveis. Os eventuais culpados estarão sujeitos à  devolução de recursos ao erário, multa sobre o dano e desaprovação de contas, o que implicaria em inelegibilidade.

A DCM aponta ainda a necessidade de uma equipe de ao menos cinco pessoas, formada por analistas de controle das áreas contábil e jurídica, para se dedicar com exclusividade à  inspeção, ao longo de três meses. Essa equipe deverá fazer trabalhos de campo, como ouvir os envolvidos e visitar a Câmara Municipal, agências e empresas contratadas.

Dúvidas – Conforme o documento elaborado pelos técnicos do TC, a agência Visão Publicidade presta serviços à  Câmara de Curitiba ao menos desde 1998 !“um ano antes, em 1997, Derosso assumia o primeiro de seus até hoje oito mandatos à  frente da presidência da Casa.

Como na época ainda não existia o Sistema de Informações Municipais do tribunal, nem o próprio TC sabe informar ao certo qual o valor recebido pela empresa naquele primeiro contrato assinado por Derosso.

Já entre 2002 e 2006, através de um segundo contrato, após vencer uma nova licitação, a mesma Visão Publicidade recebeu repasses que totalizam R$ 20 milhões, de acordo com a instrução da DCM. Entre os meses de março e junho de 2006, a empresa ainda seria contratada sem licitação, e receberia mais R$ 656,6 mil.

De 2002 a 2010, portanto, a Câmara de Curitiba gastou ao menos R$ 54,7 milhões em contratos de propaganda, em valores não atualizados. Somando-se os R$ 7,9 milhões gastos nos anos de 1999 e 2000 !“valores obtidos por Dr. Rosinha em consulta ao arquivo do mandato do ex-vereador petista Adenival Gomes!“, chega-se a um valor parcial de R$ 62,6 milhões, também sem atualização. Para o deputado, o valor total é certamente maior, porque nessa conta ainda não estão os dados de 1998, 2001 e parte de 2002.

9 Comentários

Os comentários não representam a opinião do Blog do Esmael; a responsabilidade é do autor da mensagem, sujeito à legislação brasileira.

  1. Essa é boa o tal borduna virar o jogo de culpa ao pt, são 35 a tres não é demais pra qualquer jogo?
    Os amigos do rei se locupletam e barram pedidos de informações , é só ver a sessão dessa semana.Derosso e sua corja tem que ir pro xilindró sim e devolver tuo o que tirou do povo nesses 16 anos de despota na camara.

  2. Só falta agora, o Derosso renunciar.

  3. Esse verba foi aprovada em orçamento da câmara. O PT sempre teve bancadas expressivas na câmara durante esses anos. Pergunto Sr. Deputado: Por que seus companherios não votaram contra? Por que aprovaram isso?

  4. Obrigado, Dr. Rosinha. Siga em frente. Não deixe estes safados saírem ilesos destas roubalheiras.

  5. CARAMBA, ESTOU COM URTICARIA, GASTRITE NERVOSA, ESTOU A BEIRA DE UM COLÁ PISE… DE VER TANTA ROUBALHEIRA NESTE ESTADO DO PARANÁ.

  6. ESSE É DO TIMÃO PSDB.

  7. SÓÓÓÓÓÓÓÓÓÓÓÓÓÓÓÓ´ ISSO!!!!!!!!! MIXARIA PERTO DOS 145 M DO BR PRA 01 ANO SOMENTE. ENGRAÇADO NÉ, TEM QUE SER FEITA DENUNCIA PELO DEPUTADO FEDERAL, DR. ROSINHA, JÁ QUE OS NOBRES VER. NÃO VIRAM NADA DURANTE TODO ESSE TEMPO. COISA FEIA DE GENTE “ó nesta” QUE DEVEM TER LEVADOS ALGUNS$$$$$$ TAMBÉM. BELEZA DR.ROSINHA, SE PROCURAR MAIS VÃO APARECER IMENSOS GASTOS COM COMBUSTÍVEL, QUEM SABE DO POSTO D…O. É BOM CONSULTAR O DR. FELTRIN, QUE JÁ PODE TER MAIS ALGUNS ENCAMINHAMENTOS CABELUDOS.

  8. Para elucidação imediata dos fatos basta somente a quebra do sigilo bancário
    das agencias envolvidas. Quanto cada uma recebeu e para quem pagou.
    Facil, muito fácil.

  9. SERÁ QUE 62 MILHÕES DA PRA COMPRA UM FUSCA? SERÁ QUE ELE VAI LARGAR O OSSO, O AMIGÃO DO BETOLERNER?