Vereador Roberto Hinça aceita convite do PSD e deixa o PDT

por Roger Pereira, via O Estado do Paraná

Hinça e Marcelino rumo ao PSD.

O vereador Roberto Hinça é o primeiro parlamentar da Câmara Municipal de Curitiba a aderir ao PSD, o novo partido fundado pelo prefeito de São Paulo, Gilberto Kassab e presidido pelo deputado Ney Leprevost na capital paranaense. Hinça confirmou a adesão a Leprevost em um almoço nesta segunda-feira. O vereador, que deixa o PDT, provável destino do ex-deputado federal Gustavo Fruet, será o vice-presidente municipal da legenda.

O assédio do PSD aos vereadores do PDT foi confirmado na semana passada pelos próprios vereadores e é visto como uma estratégia do grupo político do prefeito Luciano Ducci (PSB) de enfraquecer o provável novo partido de seu principal adversário. O ex-deputado estadual Luiz Carlos Martins (PDT) também foi convidado.

Apesar da confirmação de Leprevost, Hinça continua afirmando que ainda não bateu o martelo a respeito de sua transferência para o PSD. O vereador confirmou o almoço com Leprevost e a proposta para ser vice-presidente do partido em Curitiba, mas disse que, apesar de ver uma boa possibilidade, só vou anunciar minha decisão no final da semana!, disse.

Agora estou num momento de reflexão!, desconversou.

Já o vereador Jairo Marcelino (PDT), que também participou do almoço, mas não havia confirmado decisão de trocar de partido, foi mais direto, nesta tarde, durante a sessão da Câmara Municipal.

Não posso me filiar a um partido que ainda não existe, mas minha decisão está tomada. Quero o crescimento do PDT e, nesse momento, ficando no partido, nós o prejudicaremos, pois ninguém mais vai querer se filiar. Estou saindo para abrir espaço aos novos candidatos!, disse, comentando, também, que sua saída seria estratégica para a construção de uma aliança pelo PDT, uma vez que, segundo ele, ficando no partido, iria afugentar possíveis aliados, pelo fato de ter sido eleito com mais de 10 mil votos, mais que o dobro do mais votado do PT, Pedro Paulo, que, por exemplo fez 4,2 mil votos.

Leprevost disse que ainda a espera a resposta de um terceiro vereador, de outro partido, para transformar o PSD na segunda maior bancada da Câmara, ao lado de PT, PSB e DEM, com três parlamentares.

4 Comentários

Os comentários não representam a opinião do Blog do Esmael; a responsabilidade é do autor da mensagem, sujeito à legislação brasileira.

  1. Joao Carlos, o mandato pertence ao partido. Via de regra não é possível trocar de partido e manter o mandato. Contudo existem excludentes dessa situação quais sejam: comprovada perseguição dos dirigentes partidários ao parlamentar; mudança do programa e ideário do partido; fusão de legendas e criação de novos partidos. Neste último caso, se o parlamentar figurar como um dos integrantes da fundação de um novo partido, está aberta a janela para que mude de legenda sem arriscar o mandato. Entretanto neste caso específico do Hinça, entendo que não se trata de participação dele na fundação de uma nova legenda, mas simples interesse pessoal, até porque o procedimento de validação do PSD já está em andamento. Isso quer dizer que se o PDT ou o Ministério Público Eleitoral ingressarem com uma ação têm chances de tomar o mandato do Hinça. A não ser que ele tenha assinado a petição de constituição do PSD ou comprovar que é um dos participantes da fundação desta nova legenda. Á guisa de esclarecimento e lembrança tivemos em 2008 a cassação do mandato do vereador Tico Kusma que trocou o PPS pelo PSB em 2007 e ficou sem mandato a partir de julho de 2008, entretanto conseguiu se eleger novamente. E em 2010, o deputado estadual Mauro Moraes também teve o mandato cassado por trocar o PMDB pelo PSDB em 2009 e obteve êxito nas urnas para um novo mandato.

  2. A ratatulha já está abandonando o navio? Primeiro foi o Paulo Rossi, que não tem voto nenhum e agora apoia o Beto Richa de quem ele falava cobras e lagartos na bôca maldita. Chamava o Richa até de “malacafento”. Agora o Hinça que se elegeu na oposição e foi atrás da “boquinha” da Prefeitura. Daqui a pouco vai o Jairo Marcelino. E o povo, ainda vota nessas porcarias.

  3. Por isso que cada vez mais o povo Curitibano pega nojo da politica.Esta corja que não pode ver dinheiro que estão se vendendo.
    Mas o povo lembraram disto na proxima eleição.

  4. Mas quem tem mandato pode mudar de partido? Se alguem souber responder agradeco….