Servidores técnico-administrativos suspendem a greve na UPFR

Com informações da Assessoria de Imprensa da UFPR

Os servidores técnico-administrativos da UFPR votaram ontem (22), em assembleia, a favor do indicativo do Comando de Greve Nacional da Federação dos Sindicatos dos Trabalhadores das Universidades Públicas Brasileiras (Fasubra) e acordaram pela saída da greve. Portanto, eles retornam ao trabalho na próxima segunda-feira (26).

Segundo o presidente do Sindicato dos Trabalhadores em Educação do Terceiro Grau Público de Curitiba, Região Metropolitana e Litoral do Estado do Paraná (Sinditest-PR), Wilson Messias, o período de greve resultou em um enorme ganho nas pautas locais, com destaque principal para a implantação da jornada de 30 horas.

Agora vamos continuar lutando, para que os ganhos realmente se concretizem!, afirma.

Além das 30h, outras conquistas destacadas por Messias foram a abertura do Pronto Atendimento do Hospital de Clínicas (HC) e a discussão para alteração da Instrução Normativa n!º02, da Secretaria de Planejamento do Governo Federal que delibera sobre a concessão de adicionais de insalubridade e de periculosidade.

As negociações com a administração da UFPR continuam, especialmente para a discussão de da implantação da jornada de 30h e do política de recursos humanos. Uma comissão paritária, formada por representantes de diversas categorias irá trabalhar nestes debates.

Sobre o quadro da pauta nacional, ele afirma que a situação é difícil, já que o governo federal está resistindo em abrir as negociações.

Vamos esperar por propostas!, garante.

1 Comentário

Os comentários não representam a opinião do Blog do Esmael; a responsabilidade é do autor da mensagem, sujeito à legislação brasileira.

  1. estou aqui no DF no CNG a 9 dias, e pude ver e constatar como nossa greve foi conduzida, e é uma pena que algumas correntes dentro de nossa FASUBRA, entraram neste movimento pessando unica e exclusivamente no congresso eleitora de nossa federação que poderá ainda ocorrer este ano, não sendo diferente em nosso proprio sindicato SINDITEST-PR, em que haverá eleição no final do ano.

    foi omitido das bases algums documentos que poderiam ter mudado o rumo de nossa greve, até mesmo em relação ao termino da mesma.

    deixaram que seus interesses particulares falacem mais alto que os interesses da categoria, quer dizer esta tudo em disputa.

    vamos esperar que no minimo nossa pauta interna seja realmente uma conquista, mas com toda certeza só se concretizara com muita luta, pois nada é nos dado de graça.

    portanto, a nivel nacional perdemos uma batalha mas a guerra não, teremos ainda muitas batalhas pela frente.