Por Esmael Morais

Governo de Beto Richa vai começar… na propaganda

Publicado em 14/09/2011

A licitação será feita na modalidade de concorrência pública. Além do preço, será avaliada a capacidade técnica das agências. Os interessados terão de apresentar, entre outros documentos, um plano de comunicação publicitária. Para a concepção desse plano, a minuta do edital fornece um briefing (orientações estratégicas). Nesse texto, o governo afirma que as campanhas devem explorar as seguintes vantagens competitivas!: a nova gestão; a localização estratégica; a infraestrutura; e o respeito.

Comparação

De acordo com o secretário da Comunicação Social, Marcelo Cattani, o valor previsto no edital está dentro da realidade do mercado e não deve sofrer alterações após a audiência. O valor pode parecer alto, mas contempla a comunicação de todo o governo, inclusive da Copel e da Sanepar, além de grandes estruturas como a do Detran, e toda a publicidade oficial do governo!, diz ele. Segundo Cattani, o investimento se justifica porque a comunicação social também é um serviço público!. O momento que o Paraná vive agora é de retomada do ciclo de investimentos. A boa propaganda pode auxiliar na atração desses investimentos!, acrescenta.

Neste ano, o governo de Minas Gerais, por exemplo, lançou um edital para contratar apenas duas agências, responsáveis pela publicidade de apenas 17 órgãos da administração direta. O valor previsto dos contratos é de R$ 50 milhões ao ano. Em 2009, o governo da Bahia lançou edital para negociar com cinco agências, cada uma responsável por um lote. Um dos cinco lotes previa publicidade em todo o território brasileiro, com teto estipulado em R$ 129 milhões.

Histórico

Durante o segundo mandato da gestão de Requião (2007-2010), o Executivo reduziu drasticamente a publicidade institucional. Em 2009, o peemedebista tentou por duas vezes contratar empresas sem a intermediação de agências, mas isso foi barrado pela Justiça. Em setembro de 2009 uma licitação para contratação de agências não prosperou porque a modalidade escolhida foi a de pregão presencial !“ que analisa apenas o preço, e não a qualidade técnica.

Em 2010, o governo do Paraná gastou apenas R$ 10,4 milhões com comunicação social, de acordo com a execução orçamentária do estado. Durante os dois mandatos de Requião, o maior gasto com essa rubrica foi feito em 2005: R$ 76,1 milhões. Em valores atualizados pela inflação (IPCA), isso corresponde a R$ 99,8 milhões.

Serviço:

A audiência pública da licitação de publicidade será aberta ao público. Local e data: Palácio das Araucárias (Auditório Mário Lobo), Curitiba-PR, no dia 23 de setembro, das 9 à s 12 horas. Manifestações verbais poderão ser feitas, mas será dada a preferência a quem agendar antecipadamente sua intenção de falar na audiência. Isso pode ser feito pelo e-mail licitacao@secs.pr.gov.br.