Governo de Beto Richa vai começar… na propaganda

Governo do PR planeja gastar até R$ 143,5 mi com publicidade

Governador Beto Richa (PSDB).

por Rosana Félix, via Gazeta do Povo

O governo do Paraná fará uma audiência pública no próximo dia 23 para discutir a licitação que o estado vai lançar para contratar até seis agências de publicidade. A previsão inicial é de que, durante um ano, as agências recebam até R$ 143,5 milhões para fazer a publicidade do governo.

Um dos objetivos principais da publicidade do governo de Beto Richa (PSDB) é fazer uma contraposição com a gestão de Roberto Requião (PMDB). Com as campanhas publicitárias, o governo quer atrair novas empresas ao Paraná !“ e, com isso, promover o crescimento da arrecadação !“, além de aumentar a autoestima! do paranaense, segundo a minuta do edital da licitação. A intenção da atual administração é mostrar que o Paraná está aberto a novos investimentos e que respeita os contratos vigentes.

Ainda não há previsão para o lançamento da licitação. A minuta, que pode sofrer modificações após as discussões na audiência, prevê a contratação de seis empresas para gerir a propaganda do governo. Elas farão a comunicação de todos os órgãos da administração direta e indireta, incluindo as empresas públicas, autarquias e sociedades de economia mista.

A licitação será feita na modalidade de concorrência pública. Além do preço, será avaliada a capacidade técnica das agências. Os interessados terão de apresentar, entre outros documentos, um plano de comunicação publicitária. Para a concepção desse plano, a minuta do edital fornece um briefing (orientações estratégicas). Nesse texto, o governo afirma que as campanhas devem explorar as seguintes vantagens competitivas!: a nova gestão; a localização estratégica; a infraestrutura; e o respeito.

Comparação

De acordo com o secretário da Comunicação Social, Marcelo Cattani, o valor previsto no edital está dentro da realidade do mercado e não deve sofrer alterações após a audiência. O valor pode parecer alto, mas contempla a comunicação de todo o governo, inclusive da Copel e da Sanepar, além de grandes estruturas como a do Detran, e toda a publicidade oficial do governo!, diz ele. Segundo Cattani, o investimento se justifica porque a comunicação social também é um serviço público!. O momento que o Paraná vive agora é de retomada do ciclo de investimentos. A boa propaganda pode auxiliar na atração desses investimentos!, acrescenta.

Neste ano, o governo de Minas Gerais, por exemplo, lançou um edital para contratar apenas duas agências, responsáveis pela publicidade de apenas 17 órgãos da administração direta. O valor previsto dos contratos é de R$ 50 milhões ao ano. Em 2009, o governo da Bahia lançou edital para negociar com cinco agências, cada uma responsável por um lote. Um dos cinco lotes previa publicidade em todo o território brasileiro, com teto estipulado em R$ 129 milhões.

Histórico

Durante o segundo mandato da gestão de Requião (2007-2010), o Executivo reduziu drasticamente a publicidade institucional. Em 2009, o peemedebista tentou por duas vezes contratar empresas sem a intermediação de agências, mas isso foi barrado pela Justiça. Em setembro de 2009 uma licitação para contratação de agências não prosperou porque a modalidade escolhida foi a de pregão presencial !“ que analisa apenas o preço, e não a qualidade técnica.

Em 2010, o governo do Paraná gastou apenas R$ 10,4 milhões com comunicação social, de acordo com a execução orçamentária do estado. Durante os dois mandatos de Requião, o maior gasto com essa rubrica foi feito em 2005: R$ 76,1 milhões. Em valores atualizados pela inflação (IPCA), isso corresponde a R$ 99,8 milhões.

Serviço:

A audiência pública da licitação de publicidade será aberta ao público. Local e data: Palácio das Araucárias (Auditório Mário Lobo), Curitiba-PR, no dia 23 de setembro, das 9 à s 12 horas. Manifestações verbais poderão ser feitas, mas será dada a preferência a quem agendar antecipadamente sua intenção de falar na audiência. Isso pode ser feito pelo e-mail [email protected].

9 Comentários

Os comentários não representam a opinião do Blog do Esmael; a responsabilidade é do autor da mensagem, sujeito à legislação brasileira.

  1. O que fez este governo “transparente” até agora ? São 8 meses de mandato ?
    As estradas estão novamente apodrecendo (como no desgoverno Lerner), as escolas terão salas com mais de 50 alunos, a saúde cada dia pior…
    Esmael, gostaria que você, com toda sua experiência e isenção, comentasse sobre o caso do Banestado e Banco del Paraná nos anos 80. Foi naquela época que o Banco teve seu primeiro grande prejuízo. Eu trabalhava na BPDS (Processamento de Dados do Banco) que, mesmo dando o prejuízo, pagou PARTICIPAÇÃO DE LUCROS aos funcionários. Mas onde estavam os lucros ?
    Quem era o governador na época ? Pregam (imprensa golpista e sem memória) que ele foi um santo. Santo do Paoco. E como o povo é sem memória, reproduz como papagaio esta farsa.
    E quem era o presidente do Banco na ocasião ? Era aquele senhor que tinha uma indústria química ali na Engenheiros Rebouças e que fabricava uma cera com nome de passarinho. Depois de “quebrar” e deixar o osso com a sociedade, foi dirigir o banco e ser assessor de políticos. Trabalhou na Prefeitura de Curitiba e agora está no Governo do Estado. Sempre os mesmos ? WHY ? Conhecimento ?
    Outro detalhe, o governador daquela época foi o que teve que mandar seu Secretário da Fazenda se explicar em audiência pública sobre algumas “dúvidas” que haviam nas contas do Estado. O secretário é aquele que tem o sobrenome de cavalo reprodutor.
    TUDO COMO DANTES NO QUARTEL DE ABRANTES…

  2. requião foi afavor dos pobres….

  3. Requião vai voltar nos braços do povo, ate aqueles mais radicais e induzidos que frequentam o blog do Campanha e são leitores da Gazeta do Povo irão pedir de joelho que isso aconteça.

  4. Ele pode pegar a empresa da esposa do Derosso para suas propagandas mentirosas. Para isso tem dinheiro ? O que você fez qté agora ?

  5. Agora, entendi porque a Mídia e alguns Poderes são contra o Requião…

  6. Que novidade, esse cara só existe por conta da mídia corrupta do Paraná e pelas milionárias publicidade que ele próprio faz de si e da-lhe betinho, os paranaenses tem o que merecem

  7. Mágica! O Paraná até dois meses atrás estava quebrado! Agora já tem até dinheiro para torrar em publicidade. Isso é a cara do PSDB.

  8. Este é o famoso ” Choque de gestão Tucano”, vejam como se gasta em São Paulo:

    NaMariaNews: Alckmin gasta 9 milhões pela fidelidade da PIG

    Alckmin: 9 milhões pela fidelidade da “˜Proba Imprensa Gloriosa”

    E seu Barão assina os jornais e revistas para as Escolas Públicas

    Do NaMariaNews

    Interrompemos nossas saudáveis férias nas paradisíacas selvas de Bornéu para informar que a chuva é molhada, o sol é quente, a grama é verde e a Educação de São Paulo continua a mesma, embora sob completa nova direção.

    O Barão de Taubaté, ou melhor, o Sr. José Bernardo Ortiz Monteiro é o presidente da Fundação para o Desenvolvimento da Educação (FDE) desde sua nomeação pelo Governador Geraldo Alckmin, em janeiro deste ano.

    Pois não é que depois de ferrenha labuta nas negociações, Ortiz acatou ordem superior e assinou milhares de exemplares de jornais e revistas do PIG (Proba Imprensa Gloriosa) ““ para as melhores escolas públicas do mundo, cujos professores são também os mais bem remunerados do planeta? Sim. Exatamente como fizeram seus antecessores, o ex-governador José Serra e o finado Paulo Renato Costa Souza, ex-secretário de Educação de SP, o Barão de Taubaté fechou com a Folha de SP, Estadão, Veja, IstoÉ e Época. Tudo, como sempre, sem licitação.

    Desnecessário dizer que, mais uma vez, a CartaCapital não aparece no rol dos favorecidos.

    Eis os contratos, datas e seus valores, de acordo com o Diário Oficial:

    27/julho/2011 ““ Época
    – Contrato: 15/00628/11/04
    – Empresa: Editora Globo S/A
    – Objeto: Aquisição pela FDE de 5.200 (cinco mil e duzentas) assinaturas da “Revista Época” ““ 52 Edições, destinados às escolas da Rede Estadual de Ensino do Estado de São Paulo ““ Projeto Sala de Leitura.
    – Prazo: 365 dias
    – Valor: R$ 1.203.280,00
    – Data de Assinatura: 26/07/2011
    (*Primeiro comunicado no DO em 12/julho/2011)

    29/julho/2011 ““ Isto É
    – Contrato: 15/00627/11/04
    – Empresa: Editora Brasil 21 LTDA
    – Objeto: Aquisição pela FDE, de 5.200 (cinco mil duzentas) assinaturas da “Revista Isto É”, 52 Edições, destinados às escolas da Rede Estadual de Ensino do Estado de São Paulo ““ Projeto Sala de Leitura.
    – Prazo: 365 dias
    – Valor: 1.338.480,00
    – Data de Assinatura: 25/07/2011.
    (*Primeiro comunicado no DO em 12/julho/2011)

    3/agosto/2011 ““ Veja
    – Contrato: 15/00626/11/04
    – Empresa: Editora Abril S/A
    – Objeto: Aquisição pela FDE de 5.200 (cinco mil e duzentas) assinaturas da “Revista Veja”, 52 Edições, destinados às escolas da Rede Estadual de Ensino do Estado de São Paulo
    – Projeto Sala de Leitura
    – Prazo: 365 dias
    – Valor: R$ 1.203.280,00
    – Data de Assinatura: 01/08/2011.
    (*Primeiro comunicado no DO em 12/julho/2011)

    6/agosto/2011 ““ Folha
    – Contrato: 15/00625/11/04
    – Empresa: Empresa Folha da Manhã S.A.
    – Objeto: Aquisição pela FDE de 5.200 (cinco mil e duzentas) assinaturas anuais do jornal “Folha de São Paulo”, destinados às escolas da Rede Estadual de Ensino do Estado de São Paulo ““ Projeto Sala de Leitura
    – Prazo: 365 dias
    – Valor: R$ 2.581.280,00
    – Data de Assinatura: 01/08/2011.
    (*Primeiro comunicado no DO em 23/julho/2011)

    17/agosto/2011 ““ Estadão
    – Contrato: 15/00624/11/04
    – Empresa: S/A. O Estado de São Paulo
    – Objeto: Aquisição pela FDE de 5.200 assinaturas anuais do jornal “O Estado de São Paulo”, destinados às escolas da Rede Estadual de Ensino do Estado de São Paulo ““ Projeto Salas de Leitura.
    – Prazo: 365 dias
    – Valor: R$ 2.748.616,00
    – Data de Assinatura: 01-08-2011.
    (*Primeiro comunicado no DO em 23/julho/2011)

    Total: R$ 9.074.936,00.

    Você pode comparar os valores e quantidades dos anos anteriores nas tabelas deste texto.

    Extenuado de tanto firmar tão bons acordos pedagógicos, o presidente da FDE, José Bernardo Ortiz Monteiro, como faz qualquer funcionário público, foi ter uns dias de férias lá na Europa.

    Oh là là!

    Alvíssaras, confrades.

  9. Triste notícia, mas nenhuma surpresa, do montante que o governo estadual pretende torrar com publicidade, tal como a prefeitura de Curitiba. O fato é simples: dinheiro gasto com publicidade é dinheiro que deixa de ser gasto no que interessa ao cidadão, como saúde, educação e segurança. O escândalo da Câmara Municipal nos lembra do outro ponto da publicidade estatal, sempre contratada em licitações mal-cheirosas e favorecendo os amigos dos governantes, leia-se financiadores de campanhas.