Fechamento de turmas: Escolas denunciam Secretaria da Educação ao Ministério Público

Estudantes de Curitiba protestaram contra a superlotação nas salas de aula.

O deputado Professor Lemos (PT) em conjunto com vários representantes da educação, entre eles a professora e presidente da APP (Curitiba Norte), Tereza Lemos, estiveram reunidos nesta terça-feira (20) com a Promotoria de Justiça de Proteção à  Educação do Ministério Público do Paraná.

O tema da reunião foi a suspensão do fechamento de turmas nas escolas públicas estaduais. Foram apresentados ao MP/PR vários exemplos do que vem ocorrendo. O grupo de educadores se comprometeu a entregar uma listagem com turmas que foram fechadas até o dia 26 de setembro, além de relatos pedagógicos sobre os prejuízos causados aos alunos.

“Menos alunos em sala é melhor para o estado, para a educação e principalmente para o aluno, com o fechamento de turmas ocorre exatamente o inverso disto. Ficam poucas turmas com muitos alunos”, explica Lemos.

Apesar de ter sido apresentado na pauta do dia 30 de agosto em reunião da APP com o governo e também ter sido aprovada por unanimidade na Assembleia um requerimento solicitando suspender os fechamentos, a SEED continua fechando turmas.

“Isto não é certo. Uma luta histórica da educação é a redução do número de alunos por sala”, afirma Tereza Lemos.

Destacam-se alguns pontos negativos do fechamento de turmas:

– Não atende regulamentação da vigilância sanitária;
– Não há economia aos cofres públicos, já que o pagamento dos profissionais ocorre da mesma forma;
– A justificativa da Seed (Secretaria de Educação) é de que é necessário o fechamento para otimização do espaço, porém os educadores afirmam que em vários casos essa atitude não era necessária;
– Há prejuízo pedagógico aos alunos, já que terão professores diferentes agora no final do terceiro bimestre;
– Não houve debate prévio com a comunidade escolar;
– Não foram considerados os alunos de inclusão, entre outros.

Participaram da reunião: Hirminia Dorigan de Matos Diniz (Ministério Público), Deputado Professor Lemos, Tereza Lemos (professora e presidente da APP-Sindicato, Curitiba/Norte), João Alberto de Souza (diretor do Colégio Cecília Meireles), Arnaldo dos Santos (professor do Colégio Cecília Meireles), Rosália Caramagno Tauil (professora do Colégio Maria Aguiar Teixeira) e Vera Lúcia Robert Zanotto (diretora do Colégio Maria Aguiar Teixeira).

4 Comentários

Os comentários não representam a opinião do Blog do Esmael; a responsabilidade é do autor da mensagem, sujeito à legislação brasileira.

  1. ridícula a falta de preocupação com a educação , se fala tanto em qualidade, que tipo de qualidade é essa? por favor me ajudem

  2. As escolas estaduais estão caindo aos pedaços, o destino da verba para a educação no infeliz governo passado foi, no mínimo, mal gerenciada, e o problema no espaço físico escolar (entre outros) está aí. As soluções, tampouco, são satisfatórias em alguns meses de governo. Os frutos deste governo serão colhidos no próximo. Agora, resta essa laranja azeda para degustarmos.

  3. Toma Paraná tem o que merece

  4. Na verdade a educação do governo Playboy é a melhor do mundo, mesmo estando as escolas caindo aos pedaços,….em breve o movimento “finca beto” – para ele “fincar” a faca na educação do Paraná…..