Congresso do PT reabre debate sobre marco regulatório da mídia

por André Barrocal, via Carta Maior

A imprensa foi uma das estrelas da abertura do IV Congresso Nacional do PT, na noite desta sexta-feira (02/09), em Brasília. Esteve presente, na condição de ré, nos três discursos mais importantes: da presidenta Dilma Rousseff, do antecessor dela, Luiz Inácio Lula da Silva, e do presidente do PT, Rui Falcão.

O peso político dos autores das críticas ajuda a entender porque a mídia também será protagonista no documento final que os petistas vão aprovar domingo. O texto vai cobrar um marco regulatório para emissoras de rádio e TV, que vem sendo discutido dentro do governo desde o ano passado.

A critica presidencial explorou o que Dilma considera ser uma tentativa da imprensa de afastá-la do padrinho, Lula. Para ela, a mídia estaria tentando, de forma solerte, envergonhada, insinuada!, separar os dois ao disseminar a tese de que que Dilma precisaria administrar uma herança não bendita!.

Esse tipo de raciocínio surgiu, por exemplo, na abordagem sobre a inflação no início do ano, que seria resultado de gastança! de Lula. E, mais recentemente, no noticiário sobre denúncias de corrupção envolvendo os agora ex-ministros Antonio Palocci, Alfredo Nascimento e Wagner Rossi.

Dilma discorda do conceito de legado”, já que fez parte do governo Lula e, portanto, tem responsabilidade pelo que vem de antes. E não aceita que o que administra seja algo negativo. A nossa herança é daqueles que transformam o Brasil. Nós mudamos a lógica de crescimento do país!, disse.

Antes dela, tinha sido a vez de o próprio Lula atacar a imprensa, como fez tantas vezes, especialmente no segundo mandato. Disse que, nos últimos dias, um jornal noticiou que ele teria sido consultado e dado aval a uma moção em favor do ex-ministro José Dirceu, cujo quarto que ocupa em um hotel de Brasília sofreu tentativa de invasão por um repórter da revista Veja.

O jornal mentiu. Ninguém me perguntou nada. Mas a nota tem o meu aval!, declarou Lula. Afirmou ainda que não é verdade a notícia de que ele seria a favor de acabar com prévias para definir candidatos no PT. Não é possível eles mentirem e a gente ter de se explicar.”

A moção a favor de Dirceu e de repúdio à  revista foi apresentada no primeiro discurso da noite, feito pelo presidente da Central Única dos Trabalhadores (CUT), Artur Henrique da Silva Santos. Ele abriu a fala propondo moção contra o crime cometido por uma famosa revista!.

Depois de Lula e Dilma, Dirceu foi o petista mais aplaudido quando teve o nome anunciado para compor o palco de abertura do Congresso.

Ao discursar, o presidente do PT, Rui Falcão, fez uma crítica mais genérica aos meios de comunicação. Condenou o que enxerga como monopólio midiático!, partidarização da mídia! e jornalismo marrom que à s vezes flerta com a criminalidade!. O PT luta para votar um marco regulatório!, afirmou.

O documento que será colocado em discussão no Congresso petista sábado e domingo diz ser urgente provocar a ampliação do debate sobre esse marco regulatório!. O marco regularia emissoras de rádio e TV, que são concessões públicas.

O texto, ao qual Carta Maior teve acesso, afirma que o marco regulatório deve ter nove princípios, entre eles, liberdade de expressão, pluralidade de fontes de informação, apoio à s redes públicas e comunitárias de comunicação e participação social nas políticas de comunicação.

6 Comentários

Os comentários não representam a opinião do Blog do Esmael; a responsabilidade é do autor da mensagem, sujeito à legislação brasileira.

  1. O PT quer calar a imprensa, pois é a única forma de fiscalização do desgoverno do PT.Se não fosse o trabalho da imprensa não tinha acontecido nada no ministerio dos transportes, DNIT, Agricultura, Turismo. Eta povo que mete a mão e querem ter fama de inocentes. Cambada.

  2. Vamos parar de achar que algum leitor acredita na cartilha da luta histórica pela democracia… Ninguém duvida que são as denúncias de corrupção dos mandatos petistas que mais incomodam os ardorosos censuradores, digo reguladores da mídia. Deixem a hipocrisia de lado. A imprensa tem de ser livre em uma Democracia, e seus limites JAMAIS poderão ser impostos pelo executivo ou legislativo, mas sim seus excessos coprovadamente inverídicos e danosos avaliados e indenizados pela via do Poder Judiciário. A imprensa livre que continue denunciando e a Presidenta continue varrendo a sujeira e a podridão herdada…

  3. A história do PT se confunde com a história de luta pela democracia.

    Em nome da liberdade de imprensa, a grande mídia quer suprimir a liberdade de expressão. Ela pode criticar, mas não quer ser criticada.
    Ela mesma interdita o debate. Passa a impressão de uma coitadinha frágil e imatura, não preparada para dialogar com quem diverge dela.
    O PT respeita a liberdade de imprensa e propõe um qualificado debate sobre a urgente democratização da comunicação.
    A imprensa tem atitude anti-democrática ao caracterizar como uma ameaça à liberdade de imprensa qualquer crítica à ela.

  4. Este marco regulatório da CENSURA nunca, jamais foi sequer mencionado nos Congressos do PT enquanto partido oposicionista. Será que foi a imprensa que mudou contraditoriamente seu discurso? Ledo engano, para os que apoiam a Lei da Mordaça.

  5. se a midia ganha bilhões de reais do governa :eles teem que prestar contas do serviço.que serviço/ a midia grande esta chata e repetiva.os jornalhões escreve ate o sonho do redator.tem corporações que ja e chata .principalmente o matutino da massa . tem concessões publicas msa se acha privados,dependem do governo pra tudo. o ministerio publico ja esta politizado tribunais ,a politica passa por cima de tudo .jornalistas muitos são mais terroristas intelectual,do que prestação de serviço a sociedade,não todos ..estamos vigilantes .agora não e 1964 tudo mudou.o brasil e mais sabio hoje.. tem que por limites aos cidadão que quer se passar como fieis escudero da justiça ,hipocresia pura; se dizem moralistas qual moral. existem tantas..

  6. Isso aí PT, Ley de Médios já