9 de setembro de 2011
por Esmael Morais
Comentários desativados em Comissão da Verdade deve ser prioridade, diz Maria do Rosário

Comissão da Verdade deve ser prioridade, diz Maria do Rosário

via Agência Estado

Após se reunir com a presidente Dilma Rousseff, no Palácio do Planalto, a ministra-chefe da Secretaria dos Direitos Humanos, Maria do Rosário, declarou que o governo não está estipulando prazo para que o Congresso aprove a Comissão da Verdade.

“O ritmo de votações depende do Congresso, o grau de celeridade depende do Congresso”, disse a ministra, observando, no entanto, que “a expectativa do governo é que o Congresso trabalhe com prioridade em relação a essa matéria, mas que a coloque dentro do seu ritmo, como uma agenda de interesse nacional”.

Maria do Rosário fez questão de ressaltar que “a Comissão da Verdade não está sendo tratada como uma questão de governo ou oposição, é tratada como uma questão da democracia do Brasil, de fortalecimento das instituições, da sociedade e dos movimentos”. Leia mais

9 de setembro de 2011
por Esmael Morais
17 Comentários

Comissionados negam, mas fazem campanha pró-Ducci

Os dez líderes comunitários empregados na prefeitura de Curitiba garantem que ter um cargo em comissão não significa apoio incondicional ao Exe!­cutivo e aos seus representantes. Todos dizem que foram contratados na capital para realizar funções de assessoramento de associações de bairro e clubes de mães, além de in!­!­termediar as reivindicações com o poder público. Não ha!­!­veria compromisso de apoio eleitoral.

No entanto, as declarações de alguns deles contradizem isso. A gente está conscientizado o pessoal que a gente tem que eleger o Luciano Ducci (PSB) porque os candidatos que estão vindo aí não conhecem nossa realidade!, diz, por exemplo, a presidente da União de Mulheres Líderes Comunitárias de Curitiba, Maria da Paz Basso. Ela é agente da Secretaria Muni!­cipal Extraordinária de Re!­!­lações com a Comunidade.

No ano passado, Edson Pe!­!­reira Rodrigues, conhecido como Edson Parolin!, foi multado pela Justiça Eleitoral por discursar em um evento público pedindo votos para Beto Ri!­!­cha (PSDB), que disputaria o governo em outubro. O discurso foi feito em maio, quando a campanha ainda era proibida, durante um evento de distribuição de cobertores da prefeitura de Curitiba. No mesmo evento, a atual primeira-dama do estado, Fernanda Richa, tam!­!­bém discursou e acabou multada pelo Tribunal Regio!­nal Eleitoral (TRE).

Há dez anos à  frente da associação de moradores do Parolin, Rodrigues tem na ponta da língua as várias conquistas: As!­!­falto em toda a vila, unidade de saúde em construção, armazém da família, Centro de Assis!­tên!­cia Social, três creches, uma es!­!­cola, uma academia, um campo de futebol sintético e uma vi!­!­la para carrinheiros.! Porém, ele não se ilude. Sabe que as me!­!­lho!­rias aconteceram por interesses eleitorais. O político nunca vê você. Vê o que está atrás, os vo!­!­tos que ele pode conseguir!, diz. Filiado ao PSDB, Edson Pa!­!­rolin é hoje gestor público da Companhia de Habitação Po!­!­pular de Curitiba (Cohab).

Discurso Leia mais

9 de setembro de 2011
por Esmael Morais
17 Comentários

Prefeitura dá cargos a dirigentes de associações comunitárias

por Heliberton Cesca, via Gazeta do Povo

Presidentes de associações de bairros de Curitiba estão ganhando cargos dentro de instituições públicas para intermediar! o diálogo com a população mais carente da capital. Levantamento feito pela Gazeta do Povo mostra que pelo menos 14 dirigentes de associações de moradores e clubes de mães de Curitiba e região metropolitana foram contratados pela prefeitura da capital, pelo governo do Paraná e pela Câmara de Curitiba em cargos comissionados.

Especialistas afirmam que pode estar ocorrendo uma perigosa cooptação dos dirigentes dessas entidades: ao ganhar um salário público, eles estariam se comprometendo a carrear votos para seus novos chefes políticos. Os líderes comunitários negam que haja problemas no relacionamento, mas as três principais centrais que reúnem as associações de bairros têm ligações políticas e partidárias.

A Federação Comunitária das Associações de Moradores de Curi!­!­tiba e Região (Femoclam), por exemplo, tem três diretores e coordenadores empregados na prefeitura de Curitiba. Um deles é funcionário da Câmara Muni!­cipal. O presidente licenciado é o ex-vereador Valdenir Dias, atualmente contratado como assessor parlamentar das comissões do Legislativo municipal.

O presidente da Femoclam, Nilson Pereira, diz, porém, que os líderes de bairro são orientados a ter independência do poder pú!­!­blico. Ele destaca que a entidade é autônoma e afirma que o ex-vereador Valdenir não participa da administração por ter vinculação com a Câmara. Para não dar rolo, para não dizerem que estamos nos beneficiando.! Contraditoria!­mente, a sala da presidência da entidade é recheada de fotos e ho!­!­menagens a Valdenir.

O presidente interino da Fe!­!­deração das Associações de Mora!­!­dores do Paraná (Famopar), Luiz de Mauro, é funcionário em co!­!­missão na prefeitura da capital contratado como agente público da Companhia de Habitação Po!­!­pular de Curitiba (Cohab). Tam!­bém integra o Conselho da Ci!­!­dade de Curitiba (Concitiba) e o Con!­!­selho Estadual de Saúde (CES).

Trabalho com regularização fundiária e conflitos fundiários. Na mobilização das comunidades!, diz Mauro. O presidente, que está reati Leia mais