Vereadores de Pinhais negam ‘moção de louvor’ a padre Reginaldo Manzotti

Manzotti reprovado em Pinhais.

O bicho pegou semana passada na Câmara Municipal de Pinhais, na região metropolitana de Curitiba, depois que os vereadores reprovaram uma ‘moção de louvor’ ao padre Reginaldo Manzotti, ex-pároco no município. Houve até empurra-empurra entre os parlamentares por causa da decisão da Casa.

O motivo do entrevero foi uma entrevista concedida pelo padre à  Revista à‰poca, onde ele se referiu a Pinhais como periferia da periferia! e ainda disse que no início de seu trabalho na paróquia São José do Operário, bairro Maria Antonieta, precisava pedir autorização dos traficantes! para realizar uma missa.

A repercussão da entrevista de Manzotti foi expressiva na internet. No próprio site da Revista à‰poca, dezenas de pessoas deixaram comentários repudiando a atitude do padre.

Revoltados com a declaração do “padre ingrato”, a Câmara reprovou por seis votos a quatro uma proposição apresentada pelo vereador Silvio Star (PPS), prevendo monção a ex-pároco “pelos serviços prestados à  comunidade de Pinhais.”

O primeiro a criticar o projeto foi o vereador Gilberto Hartkopf (PT). Segundo ele, as críticas feitas pelo padre ao município o desqualificam como merecedor da honraria.

Sou católico e acredito que o padre tem o dever de atender a comunidade, não fez nada de mais. Agora, chamar nossa cidade de “periferia da periferia”, foi um desrespeito com todos nós!, comentou.

Quem também fez questão de expor seu repudio a Manzotti, foi o vereador Demetrio Tonon (PP). Para o parlamentar, a postura do religioso não condiz com o que a comunidade esperava.

Pelo o que sei, esse padre deve muito à  comunidade que o ajudou lotando suas missas!, disse e questionou: Ele utiliza o espaço de uma revista com abrangência nacional para denegrir a imagem da nossa cidade e agora nós vamos homenagear-lo?!.

Por fim, o vereador Silvio Star tentou defender seu projeto, alegando que a intenção era de enaltecer o trabalho do Padre Reginaldo, sem julgar sua atitude junto à  imprensa.

Lamento que os vereadores não entendam a intenção da minha proposta. Acredito que pode ter tido um mal entendido por parte do nosso ex-pároco!, concluiu.

Comentários encerrados.