Supersalários de filhos enfraquece discurso “moralizante” do líder do governo na Assembleia

Deputado Ademar Traiano (PSDB). Foto: Denis Ferreira Neto.

O líder do governo na Assembleia Legislativa do Paraná, deputado Ademar Traiano (PSDB), aos poucos, vai sendo fritado por causa de supersalários que os filhos dele receberam na Casa entre os anos 2000 e 2006.

Segundo a jornalista Joice Hasselmann, da Rádio Bandnews, um dos rebentos do tucano recebia a quantia de R$ 25 mil mensais — valor superior ao teto constitucional.

O líder do governo tucano se defendeu na manhã de hoje durante o programa “Olho no Olho”, na emissora de Hasselmann.

Eu não cometi nenhuma ilegalidade, a Assembléia Legislativa não tinha nenhuma norma que estabelecesse limite de teto!.

Na época dos gordos salários dos filhos de Traiano, o primeiro-secretário da Assembleia era o deputado Valdir Rossoni (PSDB), entre os anos 2001 e 2003.

Nesta tarde, na Assembleia, havia deputados avaliando que Traiano não tem mais condições de continuar na liderança do governo “até que essas questões sejam esclarecidas”.

“O discurso da moralização ficou ‘campenga’ depois de sabermos que o Traiano mantinha filhos contratados na Casa com supersalários”, disse um parlamentar, que não quis se identificar.

O líder do PSDB negou que uma filha de 14 tenha sido contratada aos 14 anos pela Assembleia.

Ela foi contratada quando tinha 18 anos”, esclareceu na entrevista.

Comentários encerrados.