Blog do Esmael

A política como ela é em tempo real.

Protesto contra Derosso rende multa de R$ 6,3 mil a militante do PDT

Estrutura oficial foi usada para barrar protesto contra Derosso.

A prefeitura de Curitiba definitivamente tomou as dores do presidente da Câmara, vereador João Cláudio Derosso (PSDB), acusado de fraudes em contratos de publicidade.

Veja essa, caro leitor.

Ontem à  tarde, no bairro Boqueirão, o militante do PDT Nivaldo Orlandi recebeu duas multas que somam R$ 6.376,00 porque estava protestando contra Derosso nas proximidades da Praça do Carmo.

Clique para ampliar.

Nivaldi recebeu uma multa de R$ 5 mil da Secretaria do Meio Ambiente sob a alegação de que estaria fazendo no local “poluição sonora com a utilização de microfone e caixa de som ao ar livre”.

Clique para ampliar.

Estranhamente os fiscais aplicaram primeiro a multa à s 17h45 e, somente depois, à s 17h50, eles fizeram a notificação da infração.

Clique para ampliar.

A segunda multa de R$ 1.376 foi aplicada à s 18h15 pela Secretaria Municipal de Urbanismo. O argumento dos fiscais é que Nivaldi não retirou a “barraca política com caixa de som” do local.

Outra estranheza. A agilidade na fiscalização. A administração regional da prefeitura no Boqueirão é comandada por Emílio Antônio Trautwein, indicado no cargo por Derosso.

Mais uma estranheza. Ontem à  noite, mesmo dia em que mandava aplicar multas num militante político, a Câmara pilotada por Derosso o livrava de um pedido de afastamento do cargo, feito pela vereadora Renata Bueno (PPS), sob a alegação que a moça utilizou-se de uma lei da época da repressão militar.

Resumo da ópera: a repressão só vale para os adversários.

Comentários desativados.