Na Câmara, detector de metais; faltou o de mentiras

Corredor polonês constrangeu profissionais da imprensa e funcionários da Câmara.

Hoje à  tarde, na Câmara Municipal de Curitiba, funcionários e jornalistas tiveram que se submeter a um detector de metais para entrar no plenário onde o vereador João Cláudio Derosso (PSDB) fez um rápido esclarecimento de 5 minutos sobre as denúncias contra a gestão dele.

Enquanto o tucano falava, não foi avistado nenhum detector de mentiras.

O esquema de segurança montado Derosso na Casa é bem superior ao do presidente dos Estados Unidos, Barack Obama, quando visita países hostis.

Do lado de fora da Câmara, viaturas fazem guarnição do presidente. Do lado de dentro, há um corredor polonês formado pela guarda pretoriana.

O que tanto teme Derosso?

Comentários encerrados.