Metalúrgicos da Renault fecham maior acordo salarial do país: R$ 65 mil de PLR e 20,19% de aumento real

Publicado em 29 agosto, 2011
Compartilhe agora!

Os metalúrgicos da Renault do Brasil, localizada em São José dos Pinhais (PR), aprovaram em assembleia, em porta de fábrica, na tarde desta segunda-feira (29), o pacote de benefícios negociado entre Sindicato dos Metalúrgicos da Grande Curitiba (SMC) e empresa. Os trabalhadores vão receber entre 2011, 2012 e 2013, até 20,19% de aumento real (acima da inflação) e mais R$ 61,5 mil referentes à  Participação nos Lucros ou Resultados (PLR) e abono salarial. Além disso, a tabela de salários da empresa também terá aumento.

O acordo vai injetar R$ 343 milhões na economia paranaense nos próximos dois anos. Considerando o volume de recursos, esse é o maior acordo salarial já fechado pelos trabalhadores em toda a história das negociações salariais no Brasil, informa o Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Sócioeconômicos (Dieese).

O acordo sela definitivamente como tendência para os próximos anos a nova modalidade de negociação para o País, inaugurada pelo Sindicato dos Metalúrgicos da Grande Curitiba (SMC) na Volkswagen, em maio, de se fechar pacotões salariais com prazos mais longos e sinaliza o amadurecimento da relação entre capital e trabalho.

“Quando há bom senso, é possível fechar bons acordos, que beneficiam tanto o trabalhador, que vê sua mão-de-obra valorizada, quanto a empresa, que aumenta sua competitividade no mercado de trabalho”, comenta Sérgio Butka.

Esse acordo é uma resposta aqueles que criticam as lutas dos trabalhadores por melhores condições salariais, dizendo que isso irá espantar empresas do nosso Estado. Graças a essa mobilização, somente de PLR e abono estarão sendo injetados R$ 343 milhões no Paraná, o que faz com que a roda da economia continue girando, aumentando a produção e incentivando a geração de empregos. Desse modo, nós, metalúrgicos do Paraná, estamos mostrando o caminho que o País deve seguir para se prevenir dos efeitos da crise mundial! , diz Butka.

A fábrica da Renault tem 5.700 trabalhadores diretos e tem capacidade para fabricar 224 mil carros por anos. Atualmente são produzidos os modelos Novo Renault Sandero, Novo Renault Sandero Stepway, Logan e Grand Tour, além de dez milhões de peças anuais que alimentam o mercado brasileiro e o argentino. As exportações representam 41% da produção, tendo como destinos as fábricas da Renault na Argentina (22%), Colômbia (13%), Romênia e México (4%). Este ano a montadora comemorou a marca de 1 milhão de carros produzidos desde a sua inauguração em 1998. A empresa ocupa o quinto lugar no ranking nacional das montadoras.

Compartilhe agora!

Comments are closed.