“Efeito Fruet” ameaça PSDB do Litoral

O efeito da saída do ex-deputado federal Gustavo Fruet do PSDB começa se espalhar pelo Paraná inteiro.

Depois de sacudir a Câmara Municipal e de estraçalhar do diretório tucano em Curitiba, o “Efeito Fruet” começa a danificar estruturas do PSDB que pareciam sólidas em vários municípios.

Na capital, meia dúzia de vereadores do PSDB estuda bater asas em direção à  candidatura de Fruet. Lá, imaginam, terão mais facilidades na reeleição. Eles ensaiam a revoada porque o PSDB renunciou à  candidatura própria à  prefeitura.

Pois bem. Paranaguá, no Litoral, também está prestes a enfrentar uma revoada. O problema no ninho parnanguara reside na troca do comando tucano. O vice-prefeito Fabiano Elias (PSDB) deverá perder a legenda para Alceuzinho Maron (PPS), candidato a prefeito em 2012.

Elias concorda em ceder espaço se for recompensado com a superintendência do Porto de Paranaguá, hoje nas mãos de Airton Maron — irmão de Alceuzinho. Entretanto, não há no horizonte essa possibilidade.

A voracidade do PSDB na busca de candidatos viáveis para disputar prefeituras também faz estragos colaterais bem maiores. O deputado Rubens Bueno, presidente do PPS, é um dos que não está nada contente com a fome do partido do governador Beto Richa.

à‰ bom lembrar que em Colombo, região metropolitana de Curitiba, a vice-prefeita Rosi Cavalli deixará o PSDB para ingressar no PV, depois de ser preterida no ninho. Ela quer disputar a prefeitura local.

Em comum nessas histórias acima é que todos os personagens deram duro na campanha de Richa, ou seja, foram aliados de primeira hora do tucano, mas estão se sentido “rifados” e “traídos” nas vésperas das eleições municipais.

Comentários encerrados.