Dilma demite Jobim da Defesa após novas críticas ao governo

via Estadão

Depois de ler a íntegra da reportagem da revista Piauí com o perfil e as declarações do ministro da Defesa, a presidente Dilma Rousseff avaliou que Nelson Jobim ficou numa “posição politicamente insustentável” e decidiu demiti-lo, no final da manhã desta quinta-feira, 4. Segundo fontes do Planalto, a presidente teria pedido para ele antecipar a volta de Tabatinga (AM).

Ao contrário do que disseram alguns assessores do ministro da Defesa, a presidente não soube, “há um mês”, que ele havia, em entrevista à  Piauí, feito críticas à s ministras escolhidas por Dilma depois da crise do caso Palocci, e que trabalham diretamente com ela no Palácio.

Jobim disse à  revista que a ministra das Relações Institucionais, Ideli Salvati, é “fraquinha”, e que Gleisi Hoffmann, ministra-chefe da Casa Civil, “não conhece Brasília”.

O ministro da Defesa considerou o governo Dilma “atrapalhado” pela maneira como, dois meses atrás, tratou da Lei de Acesso à  Informação, promovendo vários recuos ao se posicionar sobre o sigilo dos documentos ultrassecretos – no final, a presidente optou por manter a proposta da Câmara, contrária ao sigilo eterno e permitindo que documentos ultrassecretos tenham sigilo de 25 anos renovado por apenas mais 25 anos. A outra proposta era favorável a renovar indefinidamente o sigilo.

Dilma ficou irritada como fato de Jobim ter se encontrado nesta quarta-feira, 3, com ela e, na audiência, não ter falado sobre as críticas à s ministras. Antes da audiência, no Planalto, a presidente havia recebido no Palácio da Alvorada, o assessor de Jobim, o ex-deputado e ex-presidente do PT José Genoino. Ele não falou com Dilma sobre a reportagem da Piauí.

No início da noite dessa quarta, Jobim ligou para Ideli Salvatti, falou da reportagem e disse que as palavras dele estavam “fora de contexto”. Ideli foi até a presidente e fez o relato sobre o que ouvira de Jobim.

Na manhã desta quinta, quando já estava na Amazônia, a caminho da Tabatinga, Jobim tentou falar também com a ministra Gleisi Hoffmann. A ministra-chefe da Casa Civil não quis atender Jobim e mandou dizer, depois, pelos assessores, que as opiniões do colega da Defesa era “irrelevantes”.

9 Comentários

Os comentários não representam a opinião do Blog do Esmael; a responsabilidade é do autor da mensagem, sujeito à legislação brasileira.

  1. I just want to say I’m very new to blogs and seriously enjoyed you’re blog site. Most likely I’m likely to bookmark your site . You really come with great articles. Cheers for sharing your web site.

  2. I simply want to tell you that I am just beginner to blogging and definitely savored your web page. Most likely I’m want to bookmark your blog post . You amazingly come with wonderful well written articles. Thanks a bunch for sharing your website.

  3. A Gleise deveria levar a sério as opiniões do Jobim.

  4. Jobin, malcriado, desleal, baba-ovo da W. House., Je tem mais um defeito. Nao gosta das mulheres., Que coisa feia, Tche! Já foi tarde essa mn….

  5. Ser for inteligente coloca um liberal discreto e leal as liberdades.

  6. Dilma fez o que Jobim queria que ela fizesse.Como político experiente êle sabia que cada declaração sua era mais um degrau que descia rumo à planície.Jobim quer ser o candidato do PMDB à presidencia e aposta no desgaste deste governo até pela fadiga dos materiais.
    Deixou seu recado duro tachando os(as) governistas algumas vezes de “idiotas”,”fraquinhas”e até”ignorantes”.
    Aposto em uma solução caseira tipo Zé Genoíno para substituí-lo.

  7. Essa Dirma….

  8. Palocci, Nascimento, e agora Jobim… logo cai mais um.

  9. Muito bem, é isso aí e demorou muito!!!